Já disponível a versão digital da Revista – Manifesto Antirracista

A Revista Viração, produzida por adolescentes e jovens participantes dos projetos da organização,  chega a sua edição 117 falando sobre o racismo estrutural e suas implicações na sociedade, no meio ambiente, no mercado de trabalho, na segurança pública, no sistema de saúde, nas manifestações culturais, na educação, entre outros campos.

Pensar questões raciais em um país que se estrutura por raça e gênero é um convite para discutir projetos de sociedade decolonizada que questione as perspectivas hegemônicas. 

No Brasil, 56,10% da população se autodeclara negra. Somos o país com maior população negra fora da África – mas isso não reflete a presença de pessoas negras em cargos com poder de decisão, seja nas empresas, governo e organizações sociais, seja nas profissões historicamente acessadas por pessoas com alto poder aquisitivo, como medicina e direito. Tampouco a população negra do Brasil está entre a maioria a publicar livros e a ocupar espaços nos programas considerados importantes da TV brasileira.

Acrescendo o componente de gênero à questão racial, mulheres, jovens, adolescentes e meninas são as que têm menos oportunidades, os menores salários e são vítimas de diversas violências. Estamos em 2020, ano em que o ECA completou 30 anos, mas crianças pretas seguem sendo as mais vulneráveis a violências.  Adolescentes e jovens pretos, a partir dos 15 anos, têm 3 vezes mais chances de serem assassinados do que brancos. Quando pensamos na população LGBTQIA+ preta, lembramos que os componentes sociais esperados pela sociedade hetorocispatriarcal não estão presentes. Isso significa pensar todas as violências lgbtfóbicas adicionadas às violências raciais. 

Colagem com foto de punho simbolizando lutas. Texto: o povo preto não quer ser lembrado só em novembro. Nós existimos e re-existimos. logo viração

O povo preto não quer ser lembrado só em novembro. Por isso, a construção desta revista manifesto, diversa e multimídia, junto com tantas outras manifestações de diversos setores da sociedade, são de imensa importância e marcam o ano de 2020 na história das lutas antirracistas.

Imagem mostra jovem negra de camiseta branca, segurando o rosto com as mãos. ela tem pinturas no rosto. Texto: Revista Viração manifesto antirracista
Capa da edição 117 da Revista Viração /Foto: Julia cavalcante

Leia e compartilhe a revista-manifesto antirracista na íntegra através da página da Viração Educom na plataforma ISSUU

Materiais extras

As discussões que foram pauta da Revista – manifesto antirracista extrapolaram as 40 páginas da edição 117. Clique aqui e acesse a coleção de publicações extras da revista na Agência Jovem.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *