Internautas: público e agente transformador

Manuel Zavala foi responsável por difundir a participação da cultura mexicana na internet. Em 1995 a internet passava a se tornar acessível ao público, porém não havia grande diversificação de informações sobre a cultura mexicana; isso intrigou Zavala, já que no México existe uma extensa pluralidade de acervos culturais.

O desejo de transmitir e oferecer mais informações sobre instituições artísticas mexicanas à população local e ao mundo levou o arquiteto a criar um site onde é disponibilizado ao público diferentes conteúdos, tanto históricos quanto culturais. A principio o projeto foi financiado por seu idealizador, que a partir do desenvolvimento tecnológico foi aperfeiçoando seu trabalho e buscando novas formas de arrecadação para o site. O governo também auxiliou contribuindo com a plataforma, por meio da publicidade e de outros incentivos. Hoje, o site possibilita mais de 2000 uploads de artistas mexicanos para os navegantes.

Você pode conferir o trabalho do fundador e diretor do site Artes e Histórias México acessando www.arts-history.mx.

Públicos da cibercultura

Com ar descontraído, Sergio Amadeu falou logo após Zavala. Ele conduziu os presentes a repensar os conceitos de arte, mostrando que com a mediação da internet torna-se cada vez mais comum a participação expressiva do público nas obras artísticas.

“A arte é recombinante”, disse. Amadeu afirmou ainda que a participação das pessoas de forma interativa nas obras acaba por despertar potenciais no público, como é o caso de crianças e adolescentes que por meio da criação de histórias sobre personagens do cinema estimulam a criatividade e aperfeiçoam a escrita.

Por Beatriz Jordan, jovem comunicadora

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *