Influencers do Bem – uma iniciativa para desfazer fakenews

Apresentando o programa Influencer do Bem, trago uma reflexão, pois longe de ser apenas uma competição por likes, o programa pode ser um grande exercício de cidadania nas redes, potencializando a união de pessoas engajadas nos diversos assuntos que permeiam nossa sociedade.

Por Erik Martins

Sabe quando você começa a se perguntar uma coisa? Aí começa olhar pro céu como quem pede uma diretriz, e aí, “tadan”, te aparece exatamente uma oportunidade nesse sentido. É isso que estou vivenciando.

Comecei a querer compreender melhor as redes sociais e como podemos utilizá-las de maneira proveitosa, democrática e lutar contra os crescentes retrocessos e fake news que tem sido impulsionado nos últimos anos. E aí me apareceu como oportunidade o projeto Influencer do Bem. Mas para explicar o que é isso, preciso primeiro falar rapidinho sobre o Unidos pela Vacina.

O movimento Unidos pela Vacina, iniciado pelo Grupo Mulheres do Brasil, conta com a participação de diversos setores, como empresariado, ONGs e associações, e tem como propósito “tornar viável vacinar todos os brasileiros até Setembro de 2021”, como diz em suas próprias palavras. Através de diálogos com a esfera pública, apoio das organizações nas diversas frentes do movimento, e muito mais, o movimento tem atuado de forma a contribuir para a saúde coletiva.

Com esta campanha surgiu também o Influencer do Bem – um projeto com o propósito de espalhar conhecimento científico sobre as precauções na pandemia e a conscientização da necessidade da vacinação. Sendo focado em influencers iniciantes, diversos desafios são pensados e programados para serem publicados no Instagram, com o objetivo de divulgar para o máximo de pessoas possível as informações.

E para deixar as coisas mais animadas, é uma competição em que a pessoa com mais engajamento ganha.

O projeto já começou, com sua primeira fase no dia 30/06, e continua nos meses de Julho e Agosto, com publicações sempre às quartas-feiras. O grande resultado no dia 25 de Agosto. É bem rapidinho para quem quiser apoiar, o engajamento em cada fase dura em torno de 10 segundos.

Mas o grande valor é muito maior que um engajamento. Trata-se de uma oportunidade de unirmos nossas forças através das redes sociais, alcançando e nos comunicando com cada vez mais pessoas. E isso é de um valor transformador.

Vemos constantemente o mau uso do sistema para a disseminação de preconceitos, notícias falsas e como formas de inflamar a população em uma frente ativa de ódio e reacionarismo. Mas o oposto também é possível e está sendo construído.

A pressão comandada pelo Sleeping Giants Brasil, por exemplo, tem feito mais e mais marcas deixarem de patrocinar um expresso apresentador lgbtfóbico. Também os “tuitaços” coordenados, denunciando os retrocessos à legislação conquistada pelos povos originários, têm contribuído para expandir a visibilidade da questão a mais pessoas. Esses são grandes exemplos que estão ocorrendo agora mesmo nas redes.

Se a rede pode conectar preconceituosos, pode também fazer o mesmo com pessoas engajadas pela paz e os direitos.

Eu já estou preparadíssimo com o meu material, participando do projeto Influencer do Bem, pronto pra desfazer fake news. Se você quiser e puder, bora lá me ajudar nessa missão nas redes sociais!

Como eu disse mais acima, esse nosso movimento pode ser muito maior, não precisa se limitar a um desafio.

Isso é sobre nos apropriarmos de grandes ferramentas de comunicação, que podem ligar pessoas do mundo todo, com o propósito de divulgar e construir um futuro mais democrático e de respeito aos direitos humanos.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *