Impactos do consumo de carne na agenda da Rio+20

Nestes dia da Rio+20 e Cúpula dos Povos um movimento chama a atenção a traz reflexão a quem passa pelo Aterro do Flamengo e o Rio Centro, principais espaços de atividades destes eventos. Denominado Rio+Veg, um grupo de jovens, que representam movimentos e coletivos que trabalham em defesa dos direitos animais e do vegetarianismo, apresentam informações que vão muito além do não comer carne, como por exemplo o dado de que a pecuária brasileira responde por 62% do desmatamento da Amazônia.

“O desmatamento da Amazônia é responsável por 14% do desmatamento global anual. Com toda essa devastação, não é de se espantar que a pecuária seja, hoje, o maior vetor do aquecimento global, emitindo 18% dos gases de efeito estufa (GEEs) no mundo e sendo responsável por cerca de 50% das emissões brasileiras”, explica Cássia Moraes e Guilherme Carvalho, representantes do movimento aqui na Rio+20.

Nos próximos dias Cássia e Guilherme coordenam atividades em vários espaços da Cúpula dos Povos e da Rio+20 para explicar um pouco melhor sobre como a causa vegana e vegetariana vai muito além do não comer carne, mas também significa discutir a preservação do planeta, hábitos alimentares saudáveis, ética e consumo consciente. Confira a programação deles e acompanhe tudo pelo site rioveg.com ou pelo Twitter e Facebook.

 

 

 

 

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *