Identidade de gênero: você já ouviu falar nisso?

Por Paulo, jovem comunicador

ARTIGO – Bom, quando falamos de identidade de gênero não significa que o assunto vai ser sobre homossexuais. Isso tem a ver também, mas não é sobre isso que vou falar, pois identidade de gênero é algo que vai além da condição sexual.

Gênero é um assunto pouco discutido pela sociedade, e infelizmente nunca é mencionado nas escolas, afinal quem quer saber de um cara que se veste de mulher e mesmo assim é casado com uma mulher? Identidade de gênero não envolve sexualidade; gênero é simplesmente o modo com o qual você se identifica. Por exemplo, eu posso ser heterossexual e me vestir de mulher ou até fazer uma mudança de sexo e ainda assim posso continuar gostando de mulher.

Para entender tudo isso é importante saber que somos divididos em três partes: o cérebro, o coração e o sexo biológico. O cérebro tem a desejo que determina o seu gênero (Feminino ou Masculino), com a sua escolha ou não, o coração define por quem você vai se atrair – homem, mulher ou os dois – e o sexo biológico é só mais um rótulo para por no seu RG se você tem um pênis ou vagina.

Dentro do tema identidade de gênero existe um ponto muito importante que é o papel social de gênero, que é como você se veste, seu corte de cabelo, seu visual, etc. Disso vem a androgenia, que é quando um heterossexual se veste igual ao seu sexo oposto. A androgenia não necessariamente pode levar alguém a uma sala de cirurgia para uma mudança de sexo, já a identidade de gênero sim.

Identidade de gênero é o jeito que você se sente. Você se sente um homem ou mulher? Você pode nascer em um corpo masculino e gostar de meninas e mesmo assim pode sentir a necessidade de se transformar em uma mulher literalmente. Lembrando que gênero não envolve sexualidade, existem muitos artistas andrógenos, como, por exemplo, os cantores Marilyn Manson e o Bill, da banda Tokio Hotel. Eles têm uma aparência feminina, mas não são homossexuais.

Existe um projeto de lei chamado PL 122, que vai completar sete anos e que está em “discussão” na Câmara dos Deputados. O projeto de lei planeja defender pessoas que são discriminadas todos os dias por conta do seu gênero e condição sexual; com essa lei, a homofobia se torna crime. Mas se o país não consegue nem acabar com a corrupção, veja lá aceitar esse projeto de lei que pune pessoas intolerantes à sexualidade alheia e transfobicas, afinal, as pessoas transgênero não merecem só um cartaz escrito “Respeite a diferença!”, elas precisam de uma lei especifica que as defenda assim como os homossexuais.

tuliobucchioni

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *