Fóssil do Dia: para a Austrália, o enésimo Podium (Português/Italiano)

Fossil_day_09_12 copia

A terra dos cangurus não quer manter o aumento da temperatura abaixo de 2° C

Alice Tomaselli, da Agência Jovem de Notícias

“Aqui em Lima, a Austrália está dizendo que não consegue entender o conceito de limite de temperatura a longo prazo. Mas você já tentou colocar os alimentos no forno enquanto ele está se aquecendo?” Com essas piadas é anunciado o vencedor do Fóssil do Dia na terça-feira, 9 de dezembro. Outra vez, a Austrália ganhou o reconhecimento da Climate Action Network por estar comprometida ao máximo em fazer o mínimo para enfrentar os desafios da mudança climática.

O relatório do Banco Mundial “Turn Down the Heat”, sobre a importância de reduzir o aquecimento global, destaca a importância de se prevenir o aumento da temperatura para além de 1,5-2° C – e muitos estados têm compartilhado deste aviso, mas não o australiano, que não compreende os riscos.

Outro aspecto que a Austrália parece ter dificuldade em compreender é a ideia de “solidariedade global”. Esta expressão refere-se ao dever que cada país tem que entender como os problemas a serem enfrentados envolvem a todos. Vivemos, realmente, todos em uma única biosfera, e estamos interligados no que diz respeito à nossa saúde, segurança e fonte de alimento. Isso significa que, também quando se fala sobre os efeitos das alterações climáticas, todos devemos nos sentir envolvidos.

O fato de que a Austrália continue a ter um comportamento obstrucionista, formulando comentários pouco construtivos, surpreendente ainda mais quando se consideram as muitas ilhas das suas costas que vivem em condições das mais vulneráveis. A presença das secas e incêndios que normalmente afetam o território australiano deveria fazer com que o país entendesse a necessidade de abandonar comportamentos inconsequentes e agir concretamente, sob a ótima da solidariedade global, para gerir a mudança climática.

Versione Italiano

FOSSIL OF THE DAY:  ALL’AUSTRALIA L’ENNESIMO PODIO

Alla terra dei canguri non va di mantenere l’innalzamento delle temperature sotto i 2°C

Alice Tomaselli, dell’Agenzia di Stampa Giovanile

“Qui a Lima l’Australia sta dicendo che non riesce a capire il concetto di long-term temperature limit. Ma hanno mai provato a mettere del cibo nel forno mentre si sta riscaldando?” Con queste battute viene annunciato lo Stato vincitore del Fossil of the Day del martedì, 9 dicembre. Un’altra volta è l’Australia a meritarsi il riconoscimento da parte del Climate Action Network per essersi impegnata al massimo per fare il minimo per rispondere alle sfide del cambiamento climatico.

Il Report della Banca Mondiale “Turn Down the Heat” sull’importanza dell’abbassamento del riscaldamento globale mette in luce l’importanza di prevenire l’innalzamento delle temperature oltre i 1.5-2 C e molti Stati hanno condiviso questo allarme, ma non quello australiano che non cogliere i rischi.

Un altro aspetto che l’Australia sembra avere difficoltà a comprendere è l’idea di “global solidarity”. Con questa espressione si intende il dovere che ogni Paese ha di capire come i problemi da affrontare coinvolgono tutti. Viviamo infatti tutti in una singola biosfera e siamo interconnessi anche per quanto riguarda la nostra salute, sicurezza e fonte di cibo. Ciò significa che anche quando si parla degli effetti del cambiamento climatico tutti dovremmo sentirci coinvolti.

Il fatto che l’Australia continui a tenere un comportamento ostruzionista formulando commenti poco costruttivi stupisce ancora di più se si pensa alle tante isolette delle sue coste che vivono una condizione al quanto vulnerabile. La presenza di periodi di siccità ed incendi che spesso affliggono il territorio australiano dovrebbe far capire la necessità di abbandonare comportamenti da free-rider a agire concretamente nell’ottica della solidarietà globale per gestire il cambiamento climatico.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *