Formação superior em Educomunicação

Ana Paula Silva (RJ), Gisele Gomes (RJ), Jackson Boa Ventura (RJ) Willian Braga e Jéssica Delcarro (ES), da Renajoc

Formação superior em educomunicação foi tema da segunda mesa redonda do segundo dia do IV Encontro Brasileiro de Educomunicação, aberta pela Profa. Dra. Maria Cristina Costa, da especialização em Educomunicação, CCA-ECA/USP, que compartilhou com os presentes a experiência de capacitação de gestores. Ela destacou os cursos criados em gestão da comunicação e relatou também que o tema abrangeu públicos de diferentes aéreas educacionais.

Os conteúdos dos projetos criados se resumem ao envolvimento de alunos e professores. Alguns deles tratam de temas como: Comunicação e Cidadania, em que os alunos criaram projetos de comunicação cidadã; Inclusão Tecnológica, em que os gestores da comunicação observaram que as tecnologias estão à serviço da comunicação.

Sobre novos projetos pedagógicos, Maria Cristina Costa afirmou: “A Educomunicação não deve vir somente de uma formação superior. É importante que crianças e adolescentes entendam e conheçam as práticas midiáticas”.

A Profa. Dra. Rosane Rosa falou sobre a formação em nível de cultura e extensão na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM-RS). Na universidade desenvolve-se a comunicação como pedagogia. As principais inspirações teóricas para as práticas da universidade gaúcha em educomunicação é o Núcleo de Comunicação e Educação (NCE-USP), Paulo Freire, Pedro Demo, Boaventura de Sousa Santos, entre outros

A universidade dispõe de várias disciplinas que se relacionam com o tema da educomunicação, nas quais os estudantes desenvolvem projetos práticos em espaços fora da universidade, em pré-vestibulares comunitários, escolas públicas e demais espaços formais e não formais de ensino.

A Profa. Dra. Roseli Fígaro, da ECA/USP abordou os objetivos da licenciatura em Educomunicação na Universidade de São Paulo. “Existem alguns desafios entre professor e alunos em aprofundar a teoria e a prática do fazer, pensar e refletir e a oportunidade de estágio na área. Temos como experiência quase dois anos de curso em execução”.

Mídias na Educação

Resultado de experiências e projetos realizados pelo Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo, o projeto Mídias na Educação é um programa de educação superior a distância que visa destacar as linguagens de comunicação mais adequadas aos processos de ensino e aprendizagem, além de incentivar a formação do leitor crítico nas diferentes mídias. Durante a apresentação do projeto a Profa. Dra Patrícia Horta, da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) destacou a importância de uma educação eficaz nas áreas midiáticas. “Fomentar a pesquisa na escola, orientar os docentes na utilização das mídias, criar uma comunidade virtual são os nosso objetivos”, afirmou.

Com uma estrutura modular, o Mídias já formou só no Estado de São Paulo  aproximadamente 7 mil pessoas no cursos de extensão nos ciclos básico e intermediário. Dessas, 1.500 seguiram rumo ao nível de especialização.

Atualmente o Mídias integra a rede de programas da Secretaria de Educação Básica (SEB) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/Universidade Aberta do Brasil (Capes/UAB).

 

 

 

 

 

Bruno Ferreira
Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *