Federico Brocchieri destaca a importância da participação dos jovens na COY

Por: Agenzia di Stampa Giovanile

Federico Brocchieri, uma das principais lideranças jovens ambientais na Europa e membro do grupo que representa a Itália na COY9 – Conferência dos Jovens em preparação à Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP19), fala em entrevista à Agenzia di Stampa Giovanile sobre os objetivos da Conferência e a importância da participação jovem em eventos ambientais, capaz de trazer real impacto ao rumo das negociações. Abaixo, os pontos destacados por ele em relação aos eventos que acontecem durante essa semana em Varsóvia:

A COY é a Conferência Mundial Juvenil sobre Mudanças Climáticas organizada pela Youngo (Youth non-governmental organizations). São quatro dias de workshops e brainstormings nos quais os jovens compartilham as várias experiências vivenciadas desde o início do ano, em nível nacional, dentro de cada um dos núcleos do movimento juvenil relacionado ao clima. É também o momento em que começam a planejar as atividades que executarão em seguida, no decorrer da COP.

A COY é o ponto mais alto, no decorrer do ano, para o movimento jovem ligado ao clima. Acredito que seja importante que a Itália esteja representada neste evento – e neste ano, com a Associação Juvenil, ao lado do grupo da Agência Jovem de Notícias brasileira, temos finalmente um grupo de cerca de 20 jovens italianos, que nunca havia estado presente nos anos anteriores.

É importante que participemos porque os jovens italianos devem começar a ser representados, fazendo ouvir sua voz aos representantes do país. E por meio deste evento, podem também se inserir no contexto de atividades internacionais que são organizados periodicamente por parte da Youngo.

Os jovens na COP se dividem em vários grupos de trabalho ligados a temáticas específicas, que são as mesmas discutidas pelos negociadores – como mitigação, adaptação, educação, equidade intergeneracional. Trabalhando nesses working groups, eles podem elaborar propostas, documentos e ainda colocar em prática ações para exercer pressão sobre as delegações governamentais. Assim, os jovens podem efetivamente ter um papel.

Posso citar um exemplo de resultado concreto: no mês de abril, elaboramos e enviamos a primeira submissão oficial à Plataforma de Durban sobre o tema da Intergenerational Equity. Essa submissão recebeu endosso de numerosos Estados – e inclusive uma resposta oficial do Governo da República Dominicana, que apoiou nossa proposta. Há também algumas Partes (Estados) que, no decorrer das negociações, mencionaram o documento que produzimos. Então, não se trata apenas de planejar ações e dividir experiências, mas também de realizar algo concreto e alcançar, ainda que de forma pequena, um impacto sobre as negociações ambientais.

Confira a entrevista de Federico Brocchieri na íntegra(em italiano):

Conheça também o trabalho da Agenzia di Stampa Giovanile

 

 

 

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *