Tati Andrade, representante do Selo Unicef, fala sobre o problema de alguns municípios não enviarem delegados para a Conferência

Entrevista com Tati Andrade, médica, trabalha no UNICEF e é representante do “Selo UNICEF”



O Selo UNICEF – Município Aprovado é um projeto pelo qual os municípios podem conquistar um reconhecimento internacional pelo resultado dos seus esforços na melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes. A médica Tati Andrade, representante do Selo UNICEF esteve presente na Conferência DCA-RN e conversou com a equipe da Cobertura Educomunicativa.

Um dos problemas encontrados na Conferência que empata seu melhor desempenho é a não participação de alguns municípios, não enviando seus delegados. Se a participação destes municípios na Conferências fosse colocada como elemento avaliativo do Selo UNICEF esse problema seria resolvido?

Tati Andrade: É algo que nos deixa muito triste, pois todos têm a obrigação de proteger as crianças e adolescentes, afinal está na nossa Constituição. Entendemos que a seca, problemas internos, interfiram nessa viabilidade de deslocamento, mas isso é de um custo baixíssimo, realizar Conferências locais também. Mesmo nas dificuldades, crises, a criança e adolescente devem ser ainda mais assistidas. Elas são a base da nossa sociedade, todos os municípios tem que cooperar, é prioridade assuntos ligados às crianças e adolescentes.

Por Danilo Bezerra, 17 anos, da Cobertura Educomunicativa

Saiba mais:

O que é 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente?

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *