Sete mil pessoas discutem direitos humanos e políticas

Começa em Brasília as Conferências Conjuntas dos Direitos Humanos

Home_LGBT 

Por Clayton Campos, Belo Horizonte | Imagem: Erick Oliveira, Porto Alegre

A noite do dia 24 de abril teve algo de diferente na capital federal. Foi dado início às Conferências Conjuntas dos Direitos Humanos, que reúnem 4 conferências de direitos para populações específicas da sociedade. Entre os dias 24 e 27, Brasília recebe a 10ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, a 3ª Conferência Nacional de Políticas Públicas de Direitos Humanos de Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, a 4ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência e a 4ª Conferência Nacional dos Direitos da pessoa Idosa. Sete mil pessoas de todo o Brasil vão discutir e formular propostas de políticas públicas que garantam a efetividade dos direitos humanos para essas populações.

A mesa de abertura das Conferências falou muito sobre o protagonismo da sociedade civil para a garantia de políticas públicas. O secretário especial de Direitos Humanos, Rogério Sottili, destacou logo de início a transversalidade dos temas que serão debatidos nestes quatro dias de encontro, que desde o ano de 2014 vem sendo construído.

Para o secretário, este se configura como um momento coletivo de pensar políticas públicas específicas para o fortalecimento dos Direitos humanos. Entre as muitas expectativas e possibilidades para esse debate quatro campos se destacam: o do compromisso do Estado na formulação de políticas públicas de Direitos Humanos, o da transparência na execução dessas políticas, o fortalecimento do combate à violência contra as minorias e por fim devemos possibilitar uma política de educação para os Direitos Humanos.

Em seguida, várias autoridades presentes na mesa de abertura falaram sobre os anseios de segmentos que representavam. O deputado federal, Paulo Pimenta, presidente da comissão de Direitos Humanos na Câmara Federal, apresentou um cenário de avanços e retrocessos na formulação de políticas de direitos humanos na Câmara.

Para a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campelo, este é um momento de balanço do que já foi feito e do que podemos ainda realizar, “é uma certeza de que podemos e vamos fazer muito ainda no tocante aos Direitos Humanos”.

Por fim, a ministra das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos, Nilma Lino Gomes, tomou a palavra para acolher a todos os participantes das Conferências Conjuntas de Direitos Humanos, ressaltando que o intuito é conferir o andamento das políticas publicas de direitos humanos e que devemos garantir que continuemos a articular, negociar e lutar por nossos interesses por segmentos, e ressaltou ainda que não devemos retroceder nesta luta por Direitos Humanos e que está empenhada a garantir nenhum direito a menos.

Ao final de falas acaloradas e acompanhadas atentamente pelo público das conferencias, fomos contemplados com uma bela apresentação cultural da Orquestra JK.

 

Making of: Essa produção foi realizada por adolescentes e educadores que participam da cobertura educomunicativa da X Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. A cobertura educomunicativa é uma intervenção socioeducativa que utiliza técnicas do jornalismo para promover a participação e a liberdade de expressão de crianças e adolescentes. Ela é realizada de forma colaborativa, democrática e lúdica.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *