Empregos verdes para juventude

Giulia Carlini e Daniele Savietto da Agência Jovem de Notícias

Durante o sétimo dia das negociações, a International Trade Union Confederetion (ITUC) traçou um interessante paralelo entre o crescimento dos problemas climáticos e o aumento do desemprego na juventude, discutindo maneiras possíveis para solucionar ambos problemas, criando empregos que colaborem com soluções para as mudanças climáticas.

Não é de hoje que os indicies de desemprego preocupam governos e sociedade civil, porém nos últimos anos o crescimento das taxas entre os jovens tornaram-se alarmantes. Em países da Europa como Grécia e Espanha os índices ultrapassam a casa dos 50. Nos Estados Unidos ou Brasil a situação não é menos preocupante, mesmo quando há empregos, estes não correspondem às expectativas, muitas vezes são em áreas diferentes daquelas em que os jovens estudaram ou, quando conseguem em sua profissão, os salários são baixíssimos.

Frente este problema a Comissão Europeia criou o Garantia para Juventude. Por meio deste programa, todos os jovens, com menos de 25 anos, podem receber propostas de emprego em um prazo de 4 meses após saírem da universidade. Mas para que funcione é necessário que financiamentos sejam providenciados. Aliás, fica evidente que financiamento é a grande questão desta COP, independente do assunto em pauta.

Algumas soluções locais foram apresentadas: em países como Itália e Bélgica comunidades locais têm incentivado o “trabalho verde”, mas o grande foco estava nas profissões ligadas à educação, onde estes jovens poderiam trabalhar como educadores ambientais em escolas e projetos. Esta linha de pensamento já havia sido apresentada na seção promovida pelo UNICEF chamada Youth working with children towards a sustainable future.

Nosso sistema econômico e nossa maneira de viver causaram as mudanças climáticas, a grande maioria dos empregos está diretamente ligada a essa situação. Neste sentido fica evidente que a forma de trabalho precisa ser repensada, como de fato vem acontecendo. Empregos que promovam um novo modo de vida sustentável precisam ser criados e integrados ao sistema, reinventado a vida em sociedade, e serão estes que garantirão a empregabilidade para a juventude de hoje e das próximas gerações.

 

Evelyn Araripe
Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *