Empoderando as meninas de hoje, modificando a sociedade amanhã

Durante os dias 2 e 4 de abril, aconteceu no Rio de Janeiro (RJ) o Seminário Internacional Brasil-EUA sobre o Empoderamento de Meninas, encontro promovido pelos governos do Brasil e Estados Unidos, com a participação de Chile, México e Uruguai, e que reuniu 80 adolescentes entre 13 e 17 anos para discutir a violação de direitos e cobrar iniciativas públicas dos governos.

Ao fim das atividades, as participantes elaboraram uma carta que foi encaminhada aos governos dos países representantes.

Confira a íntegra do documento:

 

“Somos 80 meninas de cinco países diferentes, de diversas realidades, mas que compartilham o sonho de mudar o mundo e a iniciativa de começar a fazer isso, mudando o NOSSO mundo.

Em nossos diálogos no Seminário de Empoderamento de Meninas, encontramos os seguintes problemas:

– Uma grande maioria das meninas sofre preconceito, seja ele por SER menina ou por não se encaixar nos padrões de beleza da sociedade;

– Muitas meninas se sentem desincentivadas e desvalorizadas na prática de esportes;

– Muitas meninas não se identificam com a imagem que a mídia transmite do que é “ser menina”;

Enfrentamos problemas mas, sabemos que ser menina é superar esses problemas, diante disso, propomos algumas possíveis soluções:

– Uma forma de incidir diretamente em vários problemas é incentivar a discussão a cerca do Empoderamento de Meninas e da Equidade de Gêneros, entre pares, através da criação de núcleos de participação nas comunidades;

– Há diferentes tipos de beleza, mas nem sempre esse “detalhe” é abordado.

Campanhas de sensibilização são necessárias para que todas as meninas saibam que são bonitas, a seu modo;

– Apesar de já termos ingressado no mercado de trabalho, ainda notamos que existem desigualdades, propomos, então, a fiscalização do governo a cerca da igualdade salarial.

– Acreditamos que o incentivo à prática do esporte feminino deve ser igual a masculina e que esse trabalho de inclusão deve começar dentro das escolas e ser acompanhado por um trabalho pela permanência do esporte que pode ser feito através do financiamento governamental;

– Uma forma de disseminar a ideia do Empoderamento de Meninas é realizar uma campanha mundial no dia Internacional da Menina, Onze de Outubro;

– A convivência escolar é imprescindível para a consolidação da função cidadã e para a formação profissional, situações como, por exemplo, o trabalho infantil doméstico, impedem tal vivência e precisam ser, portanto, erradicadas;

– A troca de experiências possibilita o intercâmbio de soluções, portanto, fortalece as discussões internas. Seminários como o que aconteceu, nos fazem ver que não estamos sozinhas e que continuar trabalhando em nossas comunidades não é um trabalho vão. Propomos a replicação desse evento a níveis estaduais, regionais, nacionais e internacionais.

Meninas hoje, amanhã mulheres, líderes, profissionais, não conhecemos o futuro, mas sabemos que o queremos com igualdade, multiplicando nossas ações e incentivando outras meninas a perceberem seu poder de transformação. O Empoderamento de Meninas vai além da participação política ou da possibilidade de falar por outras meninas, ele se efetiva na ação. Para essa ação, gostaríamos do apoio governamental, privado, não governamental e da sociedade civil para que tenhamos grande repercussão.

Não falar sobre algo, não significa que ele não exista. O Seminário de Empoderamento de Meninas nos mostrou que compartilhamos problemas, mas também que somente juntas podemos alcançar soluções. E é isso que vamos fazer.”

Meninas participantes do Seminário Internacional Brasil-EUA sobre o Empoderamento de Meninas

 

 

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *