Educação ambiental com foco em mudanças climáticas (Português/ Inglês)

Daniele Savietto e Luiza Winckler*, da Agência Jovem de Notícias

educação

“Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.” Essa frase do pensador brasileiro Paulo Freire ecoou em nossa memória após participar do evento promovido por várias agência internacionais do sistema ONU, como UNICEF e UNESCO, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP20. O objetivo do evento era não apenas debater educação ambiental com o foco em mudanças climáticas mas também compartilhar projetos que vêm sendo realizados em países como Brasil, Zâmbia, Vietnã, entre outros.

Por isso, os participantes mostraram como a educação ambiental deve ser feita em todas as faixa etárias, crianças, jovens e adultos, e nos mais diversos ambientes como escolas, associações comunitárias e instituições.

Para conhecer o projeto da Zâmbia foi realizado uma vídeo-conferência com Bringhton Kaoma, um dos jovens formados pelo projeto que atua como multiplicador na comunidade. Em seu discurso ele enfocou que “as mudanças climáticas já são uma realidade na Zâmbia, sendo necessárias medidas de adaptação, e por isso a educação ambiental é extremamente importante para conscientizar e esclarecer as pessoas”.

Um projeto que nos chamou atenção foi o realizado pela UNESCO no Brasil. A ideia é trabalhar educação ambiental com foco em mudanças climáticas nas escolas e como tema transversal. Para isso, é necessário capacitar os professores das mais diversas áreas para que atuem em sinergia com outras disciplinas. O projeto piloto de formação de professores foi realizado na cidade de Itajaí, em Santa Catarina. Conversamos com Mariana Alcalay que nos explicou como a iniciativa foi implantada.

Como o projeto foi implantado no Brasil?

– Começamos este projeto em mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável para professores que foi implementado em Itajaí, devido às enchentes frequentes. É um projeto piloto, treinamos 100 professores da rede pública em parceria com o Ministério de Educação e a Secretaria municipal de Educação. Tentamos fazer essa capacitação em todos os níveis, infantil, fundamental e médio. Tinha também coordenadores de escolas, gente da própria Secretaria para configurar um projeto onde todos estivessem envolvidos. O curso capacita os professores e dá ferramentas para que eles mesmos introduzam o tema em sala de aula. Participam professores de ciência, português, esporte, línguas, artes para que eles possam tratar o tema de forma multidisciplinar e se tornarem multiplicadores. A gente considera que mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável é um tema transversal que tem que ser tratado por todas as áreas.

Existe alguma intenção do MEC em colocar esse conteúdo de maneira permanente no currículo?

– Sim, estamos ainda em discussão. O MEC está muito interessado e nos apoiou e no ano que vem iniciaremos a implementação em todo município de Itajaí. Mas estamos em negociação com o MEC para expandir em nível nacional, seria um projeto que abarcaria outras temática e outros cursos.

Se alguma escola quiser entrar neste projeto, há possibilidades?

– Quem estiver interessado, pode entrar em contato. Geralmente a UNESCO implementa em parceria com secretarias, não existe a possibilidade de um convênio individual e direto entre escola e Unesco, apenas via secretarias municipais de educação.

Para quem quiser conhecer o material produzido basta acessar AQUI.

 

*Integrantes da delegação brasileira na COP20

 

English version

 

“If education alone can not transform society, nor without it society changes.” This sentence of Brazilian thinker Paulo Freire echoed in our memory after attending the event sponsored by various international agencies of the UN system, such as UNICEF and UNESCO, during United Nations Climate Change Conference, COP20 to. The event was not only discuss environmental education with a focus on climate change but also share projects being carried out in countries like Brazil, Zambia, Vietnam, among others.

The goal was to show that environmental education should be done in all age range (children, youth and adults), and in various spaces such as schools, community associations and institutions.

To tell about the Zambian project it was conducted a video conference with Bringhton Kaoma, one of the young people trained by the project that acts as a facilitator in the community, in his speech he said that climate change is already a reality in Zambia being necessary adaptation and mitigation, and that environmental education is extremely important to educate and enlighten people on the subject.

A project that caught our attention was held by UNESCO in Brazil, the idea of teh project is to work environmental education with a focus on climate change in schools as a cross-cutting issue, and it is necessary to train teachers from various formations to act multidisciplinary, the pilot teacher training project was held in the city of Itajaí, Santa Catarina. We talked to Mariana Alcalay who explained us how the project was implemented.

 

How the project was implemented in Brazil?

-We started this project in climate change and sustainable development for teachers which was implemented in Itajaí, SC, because the floods they suffer on the city. It is a pilot project, we trained 100 teachers from public schools in partnership with the Ministry of Education and the municipal board of education. We try to do this training at all levels teachers: kindergarten, elementary and secondary, also had school coordinators, the secretariat people, to set up a project where everyone was involved. The course empowers and gives tools for the teachers themselves to introduce the subject in the classroom. Not only science teachers, but is a multidisciplinary course, having participated teachers of science, Portuguese, sport, languages, arts, so they can treat the theme multidisplinary and become multipliers of this knologe. We consider that climate change and sustainable development is a cross-cutting issue that has to be treated for all areas.

Is there any intention of MEC to put that content on a permanent basis in the curriculum?

-Yes, we are still under discussion, MEC is very interested, they supported us and next year we will start the implementation throughout the city of Itajaí, but at national level we are in negotiation with them, would be a project that would include other themes and other courses .

If a school wants to enter this project ia that possible?

-Anyone interested can contact us, usually UNESCO implements in partnership with departments of the gornament, there is no possibility of an individual and direct agreement between school and Unesco, only via municipal departments of education.

To access the material made available by UNESCO just enter HERE

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *