General view of Paraisopolis shantytown, the town’s second biggest, in Sao Paulo, Brazil, on July 26, 2012. AFP PHOTO/Yasuyoshi CHIBA (Photo by YASUYOSHI CHIBA / AFP)

É possível gerar impacto na periferia?

Historicamente, as periferias sempre foram lugares deixados à parte da sociedade. Se é possível gerar impacto social nestes territórios, o que falta para mudar a realidade das periferias do Brasil?

Por Victoria Souza

Eu poderia dar inúmeras voltas e justificativas antes de responder a essa pergunta. No entanto, é importante ser honesta com o leitor, ir direto ao ponto e responder de cara: sim, é possível! Porém, a grande questão que vai nortear esse artigo é: Por que não é feito? Quais as dificuldades de mudar a realidade nas inúmeras periferias do nosso país?

Historicamente, as periferias sempre foram lugares deixados à parte da sociedade; é o local onde você empurra quem não pensa como você, quem é diferente demais e na sua visão, não é bom o suficiente para compartilhar dos mesmos direitos de um cidadão do asfalto.

A problemática disso, é que os problemas empurrados para debaixo do tapete, geralmente de uma forma ou de outra, voltam para te atormentar. Muitos grupos excluídos da sociedade cobram o seu lugar, infelizmente de maneira desastrosa, e isso se reflete em um enorme caos para a sociedade: o aumento da desigualdade social e, em consequência, da violência. 

Os principais problemas da periferia foram criados por essa mesma sociedade desigual e por incrível que pareça, a visão de futuro é que precisam e serão resolvidos pela própria periferia.

Isso é natural, pois já é possível perceber que não podemos esperar tanto de nossos governantes e que felizmente na periferia existe muita gente criativa, acostumada com problemas (e a dar um jeito neles) e capazes de entender como resolver de forma a transformar dor em potência.

Mas, como mudar essa realidade?

Voltando ao início do texto, esses problemas não são resolvidos, não apenas porque o governo não quer, a sociedade não ajuda ou a periferia não tem conhecimentos e habilidades técnicas suficientes.

Esses problemas não são resolvidos, porque a periferia ainda não se deu conta de seu poder de ação para mudar essa realidade.

Imagem: Shutterstock

Empoderar a periferia é a principal ação que a sociedade pode tomar para que possamos enxergar a médio/longo prazo um futuro mais justo e igualitário.

As crianças e jovens precisam saber e entender o seu valor e que terão as mesmas chances tanto quanto qualquer outra criança. Muitas vezes, a autoestima delas é tão baixa, que elas têm bloqueios até para sonhar, imaginar uma vida diferente da sua realidade.

Trabalho com essas crianças e muitas delas não conseguem fechar os olhos e fantasiar um mundo diferente do seu, algo corriqueiro na infância de muitos de nós. É preciso empoderá-las! Mostrar a elas como sonhar. Simples assim

Pode parecer utópico ou uma visão extremamente romântica. Mas é possível impactar e mudar uma periferia se ao menos uma pessoa quiser. Ainda parece utópico? Veja o caso das Comunidades Cidade de Deus, Rocinha e São Gonçalo (Rio de Janeiro), que logo no início da pandemia do Coronavírus passaram a mobilizar suas comunidades e criar respostas de emergência para combater os efeitos iniciais da crise sanitária.

Carros de som avisando sobre os principais cuidados a serem tomados com relação à higiene, cestas básicas chegando são apenas pequenos exemplos do poder que tem a mobilização na sociedade. O Complexo do Alemão criou um comitê de crise para promover a comunicação eficaz com os moradores, além de guiar a logística de distribuição dos produtos básicos, sem o auxílio do Estado, provando aquela famosa frase clichê que preciso colocar aqui: “A união faz a força.” 

Desnecessário dizer o que a sociedade unida com o mesmo pensamento de progresso pode fazer nas cidades e pelo país. 

Felizmente, as mobilizações em torno de temas que envolvem impacto social transformam mais e mais jovens comuns em ativistas sociais, estudantes regulares em pessoas que querem fazer um pouco mais do que a média e deixar um legado no mundo.

Por isso é importante levar temas como esses para as comunidades carentes, para que a pessoas não apenas comecem a se engajar e fazer a diferença nas suas comunidades, mas também a mudar esse “mindset” de que não é possível ou que não é suficiente, e entender o quanto suas mobilizações são importantes e podem fazer a diferença.

Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP – Reprodução Brasil de Fato

Que saiam mais líderes sociais e ambientais da periferia para o mundo!

Ver +

21 Comentários

  • Texto sucinto e Verdadeiro. Principalmente quando diz do potencial que tem. E parecem não enxergar o quanto são capaz.

    • Verdade Clarice.
      Acredito que todo mundo tem muito mais potencial do que imagina.
      Obrigada pela leitura 🙂

  • Parabéns pelo artigo Victoria Souza !

    • Muito obrigada Sueli 🙂

  • Acredito que as vezes a própria periferia se menospreza no momento em que precisa levantar a sua voz em defesa ou na crítica de coisas pertinentes para a sua comunidade, se esquecendo do poder que tem.
    Parabéns pelo artigo Victoria Souza!

    • É muito triste ver os jovens não enxergar o quanto são capazes, Sueli.
      É um trabalho de formiguinha para toda a sociedade para empoderá-los.

  • A educação de base e a formação dos jovens nos cursos tecnicos profissionalizantes, bem como o acesso a cursos de linguas estrangeiras farão uma grande diferença na vida das comunidades.
    Uma formação cristã e bem contextualizada ajudará as crianças e os jovens a repelirem um possível ingresso na bandidagem.

    • Verdade Paulo.
      É muito importante investir na formação técnica desses jovens.
      Mas a formação moral continua essencial para que eles enfrentem os desafios da nossa sociedade.

  • Adorei o artigo , achei muito construtivo e bem colocado !! Amei prima.

    • Muito obrigada Prima!
      Volte sempre aqui 🙂

  • Parabéns pela matéria, realmente essa e a mais pura realidade, nos somos capazes de realizarem nossos sonhos,a força está em nos mesmos, arregace as mangas e vamos a luta, unidos somos muitos.

    • Todos esses momentos de crise nos chamam para a ação.
      Nunca foi tão necessária a união em torno do bem.
      Obrigada pelo comentário.

  • PARABÉNS, Continue nessa caminhada que irás longe, vai em frente👏

    • Muito obrigada pela leitura e o comentário 🙂

  • PARABÉNS, Continue nessa caminhada que irás longe. 👏👏

  • Um retrato claro e objetivo da realidade das periferias e o novo perfil dos jovens que estão fazendo a diferença.

    • É lindo ver que muitos jovens estão acordando para o seu potencial e mudando o nosso mundo.
      Obrigada Rosinha 🙂

  • Achei maravilhoso o texto. Sao ações que a periferia precisam adotar para pressionar o nucleo da sociedade. Pois o nucleo da sociedade sobrevive basicamente da periferia.
    Parabens.

    • Ótimo comentário Wilson.
      Você tem toda a razão, o país precisa demais da periferia.

  • Brilhante materia.gostei muito principalmente da parte em que frisa .nao so governo nao quer mas tambem a comunidade e a falta de conhecimentos e recusos …parabéns

    • Paulo, são diversos os obstáculos.
      Mas não vamos desistir, vamos mudar o jogo.
      Obrigada pela leitura e comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *