É isso mesmo? Parceria oficial?

 

Os chefes de Estados discutiram durante os dias 20 a 22 de junho propostas de melhorias para o meio ambiente, a Rio+20. Mas temos a triste realidade de saber que muitas empresas instaladas nos países desses chefes não respeitam o meio ambiente e buscam o desenvolvimento a qualquer custo, sem saber “aonde querem e necessitam chegar?” e “como vão chegar?”.

 

Mas essas realidades estão sendo repensadas, inclusive na Cúpula dos Povos, por movimentos jovens. Discussões como a extração desenfreada de recursos minerais e naturais em matas, montanhas e rios por empresas privadas, como a Vale, estão em pauta no Brasil. Acontece que é inacreditável visualizar por todos os cantos do Riocentro, local onde ocorreu a conferência da ONU, painéis que lembrava a todo o momento que a Vale foi uma das patrocinadoras da Rio+20.

 

Durante o Fórum Econômico Mundial deste ano, a empresa recebeu o título de pior empresa do mundo, conhecido como o “Oscar da Vergonha”, concedido pelas ONGs Greenpeace e Declaração de Bernia, devido aos vários problemas causados pela companhia: ambientais, sociais e trabalhistas, além colocar em estado de vulnerabilidade as montanhas e os animas, como o lobo-guará.

 

Não podemos nos calar e consentir ao ver uma empresa inimiga do meio ambiente ser representada em um espaço que propõe a discutir políticas para essa área e não termos um espaço livre para a sociedade civil organizada.

 

Por:  Reynaldo Gosmão, adolescente comunicador, do Rio de Janeiro (RJ)

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *