Diário Antirracista, dia 23

Como será que o racismo impacta a saúde mental das pessoas negras? O psicoterapeuta Fabio Sousa vem ao Diário antirracista falar sobre isso

Por Redação AJN

O protagonista do vídeo de hoje é o Fabio Sousa. Ele é Psicoterapeuta de abordagem junguiana, especialista em Psicologia Analítica. Criador e facilitador do coletivo Ressignificando Masculinidades, grupo que promove conversas entre homens para abordar questões e demandas das masculinidades contemporâneas.

O Fabio veio contribuir com as pautas do Diário Antirracista falando sobre os impactos do racismo na saúde mental das pessoas negras. Um tema que ainda é um grande tabu no Brasil, mas que merece atenção e discussão.

Ele começa falando de um dos mitos que cercam a busca por terapias na sociedade brasileira, que é o de que a psicoterapia é indicada apenas para ‘gente doida’, que seria algo supérfluo, desnecessário, gerando desinformação e descrença: 

a OMS vem dizer que saúde mental vai além da ausência de transtornos ou deficiências mentais. A saúde mental é parte integrante da saúde e ela está estritamente ligada ao bem-estar, a como a pessoa se sente integrada na sociedade, com todas as suas capacidades produtivas atendidas. De como ela se sente parte integrante e como ela pode contribuir para o seu convívio social, através do seu trabalho, através das suas potencialidades e como ela pode lidar de forma saudável e equilibrada com as tensões normais do dia a dia da vida cotidiana.

A partir desta definição, quando olhamos para o racismo, percebemos que ele está intimamente ligado à forma como as pessoas negras são vistas; diz respeito ao lugar onde as pessoas negras são colocadas na sociedade, e isso pode afetar fortemente a saúde mental:

o racismo pode afetar,impossibilitar a ascensão das pessoas, ele pode impossibilitar a expressão das potencialidades, sejam elas profissionais, criativas, artísticas. O racismo estrutural tem esse poder de definir como que essas pessoas negras são vistas, muitas vezes criminalizadas, marginalizadas, e como ela tem os seus acessos e a sua ascensão impedidas.

Por trás de falas relativamente comuns na vida de pessoas negras desde a infância está o racismo, que coloca a pessoa negra como inferior, subvalorizada. Por isso, ela precisa ser duas vezes melhor que outras pessoas para alcançar seus objetivos. Isso impacta na autoestima das pessoas negras, e pode trazer consequências graves em suas relações familiares, profissionais e sociais. 

Quando a gente pensa em abordagens policiais violentas que são destinadas às pessoas negras, quando a gente pensa em como as pessoas negras podem ser confundidas no comércio com atendentes, quando a gente pensa que pessoas negras são seguidas numa loja, por exemplo, ou como uma pessoa pode ter uma reação assustada ao ver um homem negro à noite na rua e achar que é um bandido, que vai ser assaltado, que vai ser uma pessoa que vai fazer algum mal, todas essas questões são micro traumas que vão sendo colocados para as pessoas negras que têm essas vivências, e isso mostra muito o imaginário de lugar que as pessoas negras elas ocupam na nossa sociedade. E esses micro traumas podem ao longo da vida causar feridas muito grandes

Assista o vídeo completo:

Diário Antirracista, dia 23

De olho nas missões do dia 23:

Missão 1:Escreva no seu Diário: Você já passou por alguma situação como essas? Como você se sentiu diante dessas situações?

Missão 2: Escreva no seu Diário: Você já teve alguma dessas atitudes ou já esteve presente em comentários/piadas como esta? Como você reagiu?

Missão 3: Assistir ao Documentário Olhos que Condenam.

Se você quiser receber o conteúdo do diário pelo Whatsapp, inscreva-se na lista de transmissão. Quer uma companhia mais próxima nessa jornada? Convide uma amiga ou um amigo para passarem juntos por esse processo. Clique aqui para receber todos os conteúdos direto no seu Telegram: https://t.me/diarioantirracista

Dá pra se cadastrar nesse link e receber os conteúdos por e-mail também: https://bit.ly/TermineSeuCadastroNoDA 

Você também pode seguir o Samuel Emílio no Youtube para assistir aos vídeos do diário antirracista e também receba conteúdo pelo perfil do Samuel Emílio no Instagram!

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *