Diário Antirracista, dia 16

No 16° dia do Diário Antirracista, o Samuel Emílio abre espaço novamente para a ativista Thais Ferreira. Desta vez, ela vem falar sobre o racismo na primeira infância

Por Redação AJN

A Thais Ferreira, tem mais um recado para a jornada do Diário Antirracista. No vídeo do 16º dia, a ativista preta, mãe e líder comunitária, especialista em saúde da mulher e primeira infância e Co-idealizadora do movimento Segura a Curva das Mães usa o espaço aberto no canal do Samuel Emílio para falar sobre o racismo na primeira infância.

Alguns números importantes: No Brasil, vivem 31 milhões de crianças negras e 160 mil indígenas, ou seja: 54,5% das crianças são negras ou indígenas. São crianças que, vivendo numa sociedade estruturada por preconceitos, enfrentam o racismo desde o nascimento. Elas são as crianças que mais morrem, que menos vão para a escola e, quando atingem a adolescência, também são as que mais morrem. 

Uma criança negra entre 1 e 3 anos de idade tem 50% menos chance de receber cuidado e atenção adequados nas creches públicas do país. Uma criança negra entre 7 e 14 anos tem 30% mais chance de estar fora da escola do que uma criança branca na mesma faixa etária. Com esses dados, deveria ser óbvia a necessidade de termos toda a sociedade mobilizada para garantir equidade racial desde a infância

Infelizmente, não é assim que acontece. O Racismo na infância também é crime e uma forma de maus tratos. Gera diversos danos físicos e psicológicos nas crianças, é um dos fatores de baixo desempenho e evasão escolar e as torna mais vulneráveis a outras violações de direitos humanos. 

Sim, geralmente é o adulto, que deveria proteger a criança, que pratica o racismo, além de ensinar a outras crianças práticas preconceituosas e também racistas. Porque apesar de nenhuma criança nascer racista, com influências e vivências inadequadas ela pode passar a não reconhecer o outro, quando esse outro é de raça ou cor diferente da sua. Por isso, pais e outros adultos de referência ou responsáveis têm importante papel na formação da criança, para que ela possa desde cedo respeitar a diversidade étnico-racial.

Diário Antirracista, dia 16

Conheça a missão do dia 16:

Experimente conversar sobre raça com alguma(s) criança(s) da sua convivência. Anote as respostas delas no seu diário.

Se você quiser receber o conteúdo do diário pelo Whatsapp, inscreva-se na lista de transmissão. Quer uma companhia mais próxima nessa jornada? Convide uma amiga ou um amigo para passarem juntos por esse processo. Clique aqui para receber todos os conteúdos direto no seu Telegram: https://t.me/diarioantirracista

Dá pra se cadastrar nesse link e receber os conteúdos por e-mail também: https://bit.ly/TermineSeuCadastroNoDA 

Você também pode seguir o Samuel Emílio no Youtube para assistir aos vídeos do diário antirracista e também receba conteúdo pelo perfil do Samuel Emílio no Instagram!

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *