Diário Antirracista, dia 13

A ativista pela diminuição da desigualdade Keit Lima ocupa o Diário antirracista mais uma vez! Agora, ela vem conversar sobre racismo ambiental 

Por Redação AJN

No 13º episódio da jornada Diário Antirracista, a Keit Lima está de volta, dessa vez para falar sobre racismo ambiental. A Keit Lima é mulher preta. Gorda. Periférica. Ativista, que tem como propósito de vida e luta a equidade racial, gênero e classe.

O racismo ambiental ou racismo meio ambiental é um termo usado para descrever a injustiça meio ambiental num contexto racializado. Refere-se a como certas comunidades estão submetidas a uma exposição a poluentes desproporcionada ou a como o sistema lhes nega o acesso a certos recursos naturais, como ar limpo, água potável, alimentação saudável e outros benefícios ecológicos.

A Keit começa trazendo um pouco do contexto histórico da criação do termo racismo ambiental:

O racismo ambiental começou a ser discutido no fim da década de 70, quando a população negra da Carolina do Norte começou a se mobilizar contra um depósito de resíduos tóxicos. O termo foi criado por Benjamin Frankiln Chavis Junior, um grande líder de direitos civis que investigava e pesquisava sobre a relação de resíduos tóxicos com a população negra.

As mudanças climáticas afetam todo mundo, mas nem todos da mesma forma. Quem habita as periferias globais, os povos originários e as comunidades não brancas estão inegavelmente mais expostos aos efeitos nocivos da crise climática, simplesmente pela impossibilidade de escolhas , pela falta de direitos básicos como acesso a água e tratamento de esgoto e pela exposição a agentes tóxicos, entre outras questões.

Eu quero que você pare e pense comigo: quem são as pessoas que são mais afetadas, que estão mais expostas às enchentes, aos deslizamentos, à seca, às doenças e às mortes causadas pela poluição, pelo calor e pelo excesso de frio. Precisamos entender urgentemente que buscar justiça climática não é ficar só na pauta do meio ambiente. A desigualdade social agrava quem é que é mais afetado e a desigualdade social aqui no Brasil é alicerçada pelo racismo estrutural.

Diário Antirracista, dia 13

Conheça as missões do dia 13:

Missão 1: Assistir o vídeo O VÍDEO QUE APROFUNDA conhecimentos sobre RACISMO AMBIENTAL do Canal Preto: https://youtu.be/hTRuVRXLwz0

Missão 2: Ler o texto que aprofunda conhecimentos publicado no portal Geledés: Racismo ambiental: o que é importante saber sobre o assunto

Se você quiser receber o conteúdo do diário pelo Whatsapp, inscreva-se na lista de transmissão. Quer uma companhia mais próxima nessa jornada? Convide uma amiga ou um amigo para passarem juntos por esse processo. Clique aqui para receber todos os conteúdos direto no seu Telegram: https://t.me/diarioantirracista

Dá pra se cadastrar nesse link e receber os conteúdos por e-mail também: https://bit.ly/TermineSeuCadastroNoDA 

Você também pode seguir o Samuel Emílio no Youtube para assistir aos vídeos do diário antirracista e também receba conteúdo pelo perfil do Samuel Emílio no Instagram!

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *