Dia Nacional da Educação Ambiental

No último dia 03 de junho, celebramos esse dia dedicado à conscientização sobre a conservação do meio ambiente. Vamos conhecer um pouco do histórico dessa data?

Por Amanda da Cruz Costa

Ouça este conteúdo na íntegra
Ilustração: pontobiologia.com.br / Reprodução

Oláaaa minha panqueca de legumes, turopom?

Nada melhor do que pensar em um prato vegetariamente delicioso para celebrar o preciosíssimo 03 de junho – Dia Nacional da Educação Ambiental!

Essa data foi instituída no dia 14 de maio de 2012, pela então presidente Dilma Rousseff, através da Lei 12.633/2012. A lei foi criada com o intuito de fortalecer práticas educativas para a conservação socioambiental e a construção de sociedades sustentáveis.

Além disso, o Dia Nacional da Educação Ambiental tem o objetivo de promover a conscientização sobre a importância de cuidar do meio ambiente, mobilizando toda a população em prol da natureza!

Curiosidade: A data 3 de junho foi escolhida para ser o Dia nacional da Educação Ambiental pois foi o mesmo dia que começou a Eco-92, a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio de Janeiro, em 1992).

A Educação Ambiental foi marcada por diversaaaaas conferências internacionais organizadas por agências das Nações Unidas. Nesse artigo, vamos falar de três:

  • Conferência de Estocolmo (1972)
  • Conferência do Rio de Janeiro (1992)
  • Rio+20 (2012)

Conferência de Estocolmo (1972, Suécia)

Também conhecida como Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, foi a primeira conferência ambiental do mundo, reunindo 113 países e 250 organizações internacionais para discutir os maiores desafios relacionados ao meio ambiente do mundo. 

Principais resultados:

  • Declaração de Estocolmo: Plano de ação para a proteção do meio ambiente, com 109 recomendações para os Estados-nação.
  • Criação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Conferência do Rio de Janeiro (1992, Brasil)

Também conhecida como Eco-92, Cúpula da Terra e Rio 92, essa conferência foi organizada pelas Nações Unidas e reuniu 172 países e mais de 1400 organizações não governamentais. O evento retomou pontos da Declaração de Estocolmo e reconheceu que os desafios antes classificados como locais eram, na verdade, globais.

Principais resultados:

  • Agenda 21: Proposta de ação com 40 capítulos para assegurar o desenvolvimento sustentável.
  • Criação da Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima (UNFCCC).

Rio+20 (2012, Brasil)

A Rio+20, também conhecida como Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, recebeu esse nome porque foi realizada 20 anos após a Rio-92. Esse evento teve a participação dos 193 países membros da ONU e foi caracterizada pelo reforço do compromisso dos países com a sustentabilidade.

Principais resultados:

Todo esse engajamento em prol da sustentabilidade é muito baphô, mas não é suficiente! Além de conferências internacionais que orientem as políticas para proteger o meio ambiente, é necessário que cada país desenvolva políticas públicas que assegurem o cumprimento dos acordos a nível local.

“Pensar global, agir local.” (Nações Unidas)

Para que mais articulações locais ocorram, é imprescindível investir em educação ambiental.

Está na hora de formar cidadãos com uma visão integrada do mundo, no qual suas ideias e ações sejam fundamentadas no tripé da sustentabilidade:

diminuição das desigualdades sociais, fomento do crescimento econômico inclusivo e garantia da responsabilidade ambiental.

Proteger o meio ambiente é dever de todas, todos e todes! Posso contar contigo?

Ver +

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *