Dia Nacional da Conscientização sobre Mudanças Climáticas

Hoje, 16 de março é um dia especial, pois celebramos o Dia Nacional da Consciência sobre Mudanças Climáticas 🎉

Mas num planeta que beira a morte, o que temos que celebrar?

Por Amanda da Cruz Costa

Parece até difícil de acreditar, mas estamos vivenciando uma guerra em pleno século XXI! Sem falar na multiplicidade de crises sobrepostas nas quais estamos inseridos: econômica, social, ambiental, democrática, sanitária, política, climática!

São tantos desafios que eventualmente não sabemos nem por onde começar… Muitas vezes são utilizados termos técnicos, jargões científicos, expressões em inglês que mais afastam do que nos conectam com as lutas que são realmente importantes.

Visto toda a complexidade do debate, eu gostaria de utilizar a minha voz neste artigo para explicar o básico:

  • O que é a crise climática e qual é o nosso papel nesse rolê

Antes de falar de crise climática, precisamos entender alguns processos naturais que acontecem no planeta Terra. Observe a figura abaixo, uma breve explicação sobre o efeito estufa:

O Efeito Estufa. Ilustração: Nova Escola / Reprodução

Durante o dia, o nosso planeta recebe os raios solares com o objetivo de assegurar a vida na Terra. Ela é a nossa fonte primária e todos os seres vivos dependem dela para sobreviver. Os vegetais, por exemplo, utilizam o sol para realizar a fotossíntese. Já nós, seres humanos, utilizamos para a produção de vitamina D.

Assim que o sol se põe, contamos com o processo do efeito estufa para manter a terra minimamente aquecida até ele surgir novamente. Imagine: se todo o calor fosse embora, todos nós morreríamos congelados!

O efeito estufa é algo bom e natural, mas a industrialização e, consequentemente, o aumento do uso de combustíveis fósseis (petróleo, gás natural e carvão), fez com que esse processo fosse altamente intensificado, gerando um acúmulo de gás carbônico na atmosfera e nos oceanos.

Dá uma olhadinha na figura abaixo:

Efeito Estufa Natural e Efeito Estufa provocado pelo Homem. Ilustração: Passei Direto / Reprodução

A intensificação do efeito estufa gerou o aquecimento global, que é o aumento da temperatura média do planeta. Eu poderia investir linhas e linhas com explicações técnico-científicas sobre o assunto, mas achei um mapa mental no Brasil Escola que traduz o que eu gostaria de dizer:

O Aquecimento Global. Arte: Brasil Escola / Reprodução

O aquecimento global está ocorrendo de uma forma tão intensa que originou as mudanças climáticas, ou seja: a variação do clima em escala global e regional da Terra ao longo do tempo, afetando o equilíbrio de sistemas e ecossistemas já estabelecidos por muito tempo.

Se você não tem muita familiaridade com o assunto, talvez esteja pensando:

Poxa Amandinha, mas eu gosto do calor!

Pequeno gafanhoto, não pense apenas no seu conforto individual… Pense que populações inteiras de plantas, animais e bactérias importantes para a manutenção da vida na Terra podem morrer, pois são sensíveis a mínima mudança de temperatura. 

Hoje em dia o assunto está tão treeeeta, que não falamos mais em “mudanças climáticas”, mas sim em “crise climática”, pois queremos mostrar a urgência e emergência do tema.

Falar de crise climática não é só falar do ursinho polar que está ficando magrinho na Antártica, algo distante da nossa realidade. A crise climática também está intensificando as secas no nordeste, as ondas de calor no centro-oeste, as queimadas no norte, as chuvas no sudeste e até mesmo causando neve no sul do nosso país!

E já que isso está afetando a nossa realidade, qual será o nosso papel na busca por soluções?

Para tangibilizar esse debate, eu gosto sempre de analisar o cenário a partir de três perspectivas: individual, coletiva e política. 

  • Individual: podemos adotar novos hábitos para sermos sustentáveis. Ex: participar da campanha Segunda-Sem-Carne, escolher o transporte ativo (a pé ou de bike) ou até mesmo ser pai ou mãe de plantas.
  • Coletivo: é bem mais fácil fazer esse rolê quando estamos rodeados de pessoas que estão pensando nas mesmas paradas que a gente. Tem diversas organizações, grupos e coletivos de jovens que trabalham com o clima, como o Engajamundo, Fridays for Future Brasil e o Perifa Sustentável.
  • Político: a real-oficial é que nada vai mudar apenas com as ações individuais e coletivas, precisamos de apoio político. Vote em tomadores de decisão que defendem a pauta socioambiental, acompanhe os projetos de lei que estão sendo votados e tente influenciá-los de alguma maneira. O NOSSAS faz um trabalho incrível de mobilização da sociedade civil para influenciar nos processos decisórios.

Minha querida lindeza climática, espero do fundo do meu coração que esse artigo possa te apoiar na compreensão e no engajamento com o tema. Sei que esse assunto pode parecer doideira, principalmente quando é abordado de forma complexa.

Portanto, eu escolhi utilizar a minha voz para democratizar e escurecer esse debate, e uma das principais formas que faço isso é através da criação de conteúdo no meu Instagram, Linkedin e Blog. Se você quiser saber mais sobre o assunto, basta me seguir e bora trocar ideia sobre o tema <3

Imagem: TheDigitalArtist / Pixabay

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *