Dia Mundial do Patrimônio Audiovisual

3 meses após o incêndio da cinemateca, “celebramos” esse dia com uma reflexão sobre a importância de preservar nossa cultura.

Por Luara Angélica 

Hoje, 27 de outubro, é o Dia Mundial do Patrimônio Audiovisual. Ele foi escolhido pela UNESCO em 2005 para aumentar a conscientização sobre a importância e os riscos de preservação dos documentos sonoros e audiovisuais.

Há três meses, em 27 de julho, a Cinemateca Brasileira – instituição responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira, passou por uma tragédia há tempos anunciada: parte de seus galpões foi afetada por um incêndio.

Foto: Marcelo Naddeo / Reprodução Revista Piauí

O espaço, que já foi considerado a quinta cinemateca do mundo, tem o maior acervo da América do Sul, com 250.000 rolos de filmes, além de programas de TV e registros de jogos de futebol. Entre esses rolos, estão tesouros como o arquivo completo da obra de Glauber Rocha, maior expoente do nosso Cinema Novo.

Foto: Carla Carniel

No incêndio foram perdidos equipamentos museológicos, como projetores antigos, documentos, incluindo quatro toneladas de arquivos sobre políticas públicas de apoio ao cinema, e ainda foram perdidos arquivos do Conselho Nacional do Cinema e do Instituto Nacional do Cinema.

Esse fogo reafirma o descaso com parte tão importante de nossa história: sofremos uma perda irreparável de inúmeras obras e documentos do cinema brasileiro. Os trabalhadores da instituição sempre alertavam sobre os riscos de se perder esse acervo, como mostra a reportagem O que se perde quando o acervo de uma Cinemateca queima? do Brasil de fato: “Foi uma tragédia anunciada. A gente cansou de falar.” , comentou Roberto Gervitz, coordenador do Grupo de Trabalho Cinemateca da Associação Paulista de Cineastas.

Há um descaso muito grande não só com essa instituição, mas com a cultura em geral: 

Vivemos em um país que não trata cultura como prioridade e nem ao menos como política pública. Os editais muitas vezes são excludentes e nem chegam perto de garantir o acesso a cultura e arte para toda a população e a manutenção dos equipamentos que teriam como função básica abrigar a produção cultural é muito negligenciada. Em 2016, por exemplo, a Cinemateca foi atingida por um incêndio que destruiu 731 dos 44 mil títulos do acervo. No mesmo ano, Michel Temer fez mudanças significativas no ministério da cultura após uma onda de protestos, mas desde o início do governo Bolsonaro, a situação só piora.

A extinção do ministério da cultura é apenas um dos vários episódios que evidenciam a negligência desse governo com o fazer cultural no Brasil.

O desmonte da Ancine, troca de gestores, a moral religiosa  para escolha de projetos a serem financiados, alusão à ditadura militar, são alguns episódios que comprovam a falta de interesse na preservação desse patrimônio, denunciada pelo Conselho Federal da OAB em uma ação judicial.

Celebrar o Dia Mundial do Patrimônio Audiovisual é entender a importância de se preservar nosso passado, nossa cultura, e reconhecer os profissionais e instituições que trabalham para que nossa arte seja preservada e conhecida por nossa gente, ao mesmo tempo em que se torna símbolo e documento histórico.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *