Dia da Juventude e das Gerações Futuras na COP20 (Português/Inglês)

 

Serena Boccardo, da Agência Jovem de Notícias

 

youth_day

Aberto pelo violino e pela voz de “Earth in Brackets”, o painel “Intergeracional Inquiry” foi um dos principais eventos do dia 4 de novembro na COP 20: o Dia do Jovem e das Futuras Gerações. Um jornada dedicada às aspirações e necessidades das jovens gerações. Compondo um terço de toda a população mundial, as jovens gerações herdam nosso planeta e, por isso, merecem um lugar especial em eventos da UNFCCC.

Em seu sétimo ano de realização, o debate “Intergeracional Inquiry” serviu, neste momento, principalmente para ilustrar o extenso trabalho realizado durante a COY10, a Conferência Internacional dos Jovens em preparação à COP20 no vizinho campus da Universidade La Molina.

Os expositores destacaram o fato de que a COY10 aconteceu graças aos esforços de mais de 80 estudantes peruanos, totalmente voluntários; muitos deles lidando pela primeira vez com encontros internacionais. A maioria deles sequer dominam a língua inglesa, a principal em eventos dessa natureza. Após 10 meses de preparação, eles foram capazes de gerenciar um evento de três dias que recebeu cerca de 900 pessoas de todo o mundo. O objetivo final da COY10 foi construir uma “Declaração da Juventude” abrangente e detalhada, em 14 pontos, explicando as posições da juventude em todos os tópicos que seriam negociados alguns dias depois nas tratativas oficiais. Trata-se d o mais poderoso instrumento pelo qual a juventude pode se envolver diretamente no processo da UNFCCC.

Raquel Rosenberg, doa ONG brasileira Engajamundo, enfatizou os esforços que têm sido tomados para se alcançar este resultado: dinamizando a coordenação, ultrapassando as barreiras linguísticas – a grande maioria das pessoas na América Latina não fala Inglês – o que têm sido muitas vezes uma ferramenta eficaz para segregar uma grande parte da sociedade, incluindo os jovens, das discussões. “As coisas foram mudando desde a Rio + 20, quando os jovens dos hemisférios Norte e Sul uniram suas energias e compartilharam seus conhecimentos para definir e alcançar objetivos comuns: a participação direta da juventude e uma posição comum a fim de aumentar o poder do diálogo”, testemunhou Raquel.

“Nós não pretendemos ser negociadores: agimos de forma a tornar explícitas as demandas da juventude e deixar um legado para as gerações futuras. Os negociadores não entendem o ponto mais importante: que é nossa vida e a vida de seus filhos que estão em jogo”, disse Raquel. Uma manifestação geral de consenso veio do público depois que ela discursou: “A negociação sobre mudança climática não é um negócio. Nós precisamos cortar 80% do consumo de combustível fóssil. Hoje em dia, os homens dos documentos são os novos homens da guerra. Palavras, frases e declarações são suas armas. Eles estão escondidos entre linhas e entre parênteses. Mas a nossa vida não está à venda”.

Um dos oradores, responsável pela COY11 em Paris, também anunciou as palavras-chave para a estratégia da juventude em Paris quando será assinado um novo acordo sobre o clima. São elas: solidariedade acima de nacionalidades, inclusão de todos e ação intergeracional, uma vez que uma mudança imediata é urgente e exige “mãos dadas” com a atual geração de políticos e delegados.

Infelizmente, tendo estourado o tempo, o painel não pôde ouvir a voz da juventude indígena: seria um sinal dos nossos tempos? Esperemos que não.

 

 

English Version

Youth and future generations day

Opened by the violin and voice of Earth in Brackets, the ‘Intergenerational Inquiry’ panel was one of the main events of yesterday at COP 20: the 4th of December is indeed the Young and Future Generations Day, an entire day devoted to young generations’ aspirations and need. Being one third of the entire world population, young generations inherite our planet and because of this they deserve a special place in UNFCCC events.

Running for the seventh year, the ‘Intergenerational Inquiry’ debate served this time primarily to illustrate the enourmous work undertaken during COY10, the Conference of Youth, which run immediately before COP20 in the near campus of La Molina University.

Panelists highlighted the fact that COY10  occurred thanks to the efforts of more than 80 Peruvian students, entirely volunteering for the event, often experiencing dealing with international meetings for the first time, and most of them not even being English speakers;  after 10 months of preparation, they have been able to manage a three days event hosting approximately 900 peers from all over the world. The final goal of COY10 was to build a comprehensive and detailed “Declaration of Youth” in 14 points explaining youth positions on all topics that would have been negotiated some days after in the official negotiations, the most powerful tool throught which youth can directly engage in the UNFCCC process.

Raquel Rosenberg from Engajamundo (Brasil) emphasized the efforts that have been taken to reach this result: apart for coordination, overcoming language barriers – the vast majority of people in Latin America doesn’t speak English – which have often been an extraordinary tool for segregating a big part of society, including youth, from the discussions. Things have been changing since RIO+20, when youth from Northern and Southern emispheres united their energies and shared their knowledge to set and reach their common goals: youth direct participation and a common position in order to increase the power of dialogue.

“We do not pretend to be negotiators: we act in order to make youth demands explicit and to leave a legacy to future generations. Negotiators don’t understand the most important point: that it’s our lives and their children lives that are at stake” said Raquel. A general praise of consense arised amongst the public after she claimed: “Negotiating on climate change it’s not a business. We need to cut 80% fossil fuel consumption. Nowadays, men of papers are the new men of war. Words, sentences and statements are their weapons. They are hidden between lines and brackets. But our life is not for sale”.

One of the speakers, responsible for COY11 Paris, also announced the keywords for the youth strategy in Paris, where ultimate decisions about a Final Agreement on Climate Change will be taken. They are : solidarity across nationalities, inclusiveness of all and intergenerational action, since an immediate change is urging and it requires “holding hands” of current generation of politicians and delegates.

Unfortunately running out of time, the panel couldn’t host the voice of indigenous youth people: was it a sign of our times? Hopefully not.

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *