Desenvolvimento e Direitos pautam a manhã do segundo dia

A mesa “Juventude, Desenvolvimento e Efetivação de Direitos”, que rolou após a leitura do regimento interno da Conferência, prosseguiu com os debates iniciados na noite de ontem, explanando o documento base e explorando o tema da Conferência.

Regina Novaes, antropóloga e ex-presidenta do Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE), já entrevistada pela Agência aqui, reafirmou que tratar de Políticas Públicas de Juventude não é uma tarefa fácil, porém falar em liberdade e igualdade é muito pouco quando se fala de juventude. As políticas devem ir além disso. Regina ainda ressaltou que a construção de uma sociedade com justiça socioambiental surge com a pressão da população civil e o acompanhamento e investimento do Estado.

Renato Meirelles, sócio-presidente do Instituto Data Popular, ainda contribuiu para o debate mostrando que a ascensão de classe econômica, a partir da inserção dos jovens no mercado de trabalho, fez com que a juventude se tornasse peça fundamental no desenvolvimento brasileiro.

Assim afirmou também o secretário adjunto da Secretaria Nacional de Economia Solidária, Roberto Marinho. Para ele, precisa-se trabalhar em novos modelos de desenvolvimento, tomando por base o que já está consolidado como Política Pública. “Mais do que medidas de intervenção estatal econômica, nós precisamos de novos paradigmas onde as necessidades sociais prevaleçam aos interesses dos grandes”, afirmou, mostrando a necessidade do fim das políticas hegemônicas e reafirmando o por que de se enxergar o desenvolvimento como projeto social.

A mesa ainda contou com outros participantes e o lançamento de Programas da Secretaria Nacional de Juventude.

Por: Verônica Mendonça (SP).

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *