CPI em foco, #02: Quem é quem na CPI da COVID?

Vamos conhecer quem são os senadores que integram a Comissão que investiga a condução da pandemia de Covid-19 no Brasil

Por Maria Eduarda Melo

Ouça este conteúdo na íntegra

Gostando ou não de política, tem sido quase impossível estar alheio ao que acontece nas sessões da CPI da Covid por conta da visibilidade que a comissão tem tomado, tanto nos jornais, quanto nas redes sociais. Semanalmente, os principais veículos do país têm chamado atenção às falas do relator, do presidente da comissão, senadores e depoentes. 

“O que é uma CPI?” Leia o primeiro texto da cobertura para ficar por dentro do assunto.

Mas você sabe o que cada um desses nomes significa? Quais as funções de cada pessoa que participa da comissão parlamentar?

São várias personagens envolvidas e neste texto vamos explicar quem é quem dentro da CPI da Covid.

Depois da leitura do requerimento que propõe a abertura da comissão, os partidos e bancadas podem indicar membros para fazer parte da CPI. Um dos primeiros passos para que uma CPI aconteça, depois do processo já ter sido instaurado, é a eleição do presidente e do vice-presidente da comissão. Os senadores que foram escolhidos para participar da comissão votam para escolher quem entre eles ocupará os cargos.

No caso da CPI Covid, dos 11 senadores titulares, 8 votaram em Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência e 7 votaram em Randolfe Rodrigues (REDE-AP) para vice. Após isso, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi indicado por Aziz para ser o relator do caso. 

Os cargos de maior relevância são os do presidente e relator do caso.

O presidente será aquele que representa a comissão fora do parlamento e é responsável  por dar direção aos trabalhos, mas sem poder conduzir os atos da investigação.

O relator é quem conduz o inquérito e coordena as ações relativas à investigação. Quem ocupar esse cargo também estará encarregado de entregar um relatório ao presidente da comissão no final da investigação. Uma votação então é feita entre os senadores para que as conclusões da CPI possam ser levadas ao Ministério Público. 

Quando Renan Calheiros foi indicado como relator, algumas pessoas foram contra pelo fato dele ser pai do governador do Estado de Alagoas, Renan Filho (MDB-AL), que pode ou não ser um dos alvos da investigação da CPI. Porém, o pedido para que o senador fosse afastado do cargo foi negado pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. 

Conheça os perfis dos senadores

Omar Aziz (PSD-AM)

Senador desde 2015, Omar Aziz começou na política no fim dos anos 1980 como vereador. Tem em sua carreira mandatos como deputado estadual, vice-prefeito de Manaus e vice-governador do Amazonas. Aziz se declara independente em relação ao governo Bolsonaro e é quem comanda a presidência da CPI. Durante a pandemia, o senador chegou a fazer um projeto de lei que tornaria crime prescrever remédios que não tenham comprovação científica, porém retirou o projeto para que pudesse ser estudado e elaborado com mais profundidade. 

Eduardo Braga (MDB-AM)

Líder do maior partido do senado, o MDB, Eduardo Braga também se declara independente. Tem no seu histórico político os cargos de vereador, vice-prefeito, deputado estadual e federal, governador e está no seu segundo mandato consecutivo como senador. Também foi durante o governo Dilma, ministro de Minas e Energia. 

Renan Calheiros (MDB-AL)

Se declara independente porém possui uma postura mais próxima à oposição. Em sua carreira, já foi deputado estadual e federal. Formado em direito, foi ministro da Justiça durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Já foi presidente do senado quatro vezes e chegou a concorrer ao cargo em 2019, mas retirou sua candidatura.

Tasso Jereissati (PSDB-CE)

Formado em Administração, Tasso foi Governador do Ceará três vezes. Se declara independente, mas também possui uma postura mais próxima à oposição. Foi presidente de seu partido e se encontra no segundo mandato como senador. 

Otto Alencar (PSD-BA)

Formado em Medicina, se declara independente ao governo, mesmo tendo uma postura próxima à oposição, tendo anunciado recentemente apoio ao ex-presidente Lula nas eleições de 2022. Sua carreira política começou no final dos anos 1980, como deputado estadual. Foi também vice-governador e governador da Bahia.

Humberto Costa (PT-PE)

Formado em Medicina e Jornalismo, Humberto Costa faz oposição ao governo. Dentro da política, chegou a ser vereador, deputado estadual e federal. Foi também ministro da Saúde no governo Lula e atualmente está em seu segundo mandato como senador. 

Randolfe Rodrigues (REDE-AP)

Formado nos cursos de Direito e História, faz parte do grupo de oposição ao governo. Randolfe é o vice-presidente da comissão e foi o autor do pedido de criação da CPI da Pandemia. Chegou a ser deputado federal duas vezes e está em seu segundo mandato como senador.

Eduardo Girão (PODEMOS-CE)

Girão faz parte do grupo que se declara independente, mas tem atitudes mais próximas ao governo. Já foi presidente do Fortaleza Futebol Clube e está em seu primeiro mandato como senador. Chegou a criticar a OMS e defender o uso da cloroquina, medicamento que já foi comprovado ineficaz contra o coronavírus.

Marcos Rogério (DEM-RO)

Assim como Eduardo Girão, também é próximo ao governo, apesar de se declarar independente. Já foi vereador e deputado federal, sendo o relator do processo de cassação do mandato de Eduardo Cunha, presidente da câmara na época. O senador atualmente é líder de seu partido no senado. 

Ciro Nogueira (PP-PI)

Formado em Direito, é presidente de seu partido e um dos líderes do centrão no congresso. Ciro Nogueira se declara governista e foi contra a criação da CPI. Chegou a ser deputado federal quatro vezes e encontra-se no segundo mandato como senador. 

Jorginho Mello (PL-SC)

Governista, está em seu primeiro mandato como senador e já foi deputado federal. Enquanto deputado, votou a favor do Impeachment de Dilma Rousseff. Chegou também a ser governador de Santa Catarina pelo período de 10 dias.

Na continuação da série, vamos falar sobre quem são as pessoas convocadas para depor na CPI da Covid. Fica ligade para não perder as publicações!

Ver +

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *