COY10: 1º Dia recheado de workshop e trocas de experiências.

Por Luiza Winckler e Reynaldo Gosmão*, da Agência Jovem de Noticias.

No dia 28 rolaram vários workshops sobre diversos assuntos na COY10.

Dagoberto Anyala Pizzaro, representante da organização Comunidad  Verde, trabalhou em seu workshop sobre Meio Ambiente, Emissão de Gases e Efeito Estufa. Ele apresentou o histórico de emissão de gases na atmosfera e suas problemáticas para os seres vivos.

Dagoberto possibilitou a compreensão de como nossas ações implicam diretamente na construção de um mundo mais sustentável. Desde a Revolução Industrial até o atual momento tivemos um aumento muito expressivo de gases do efeito estufa na atmosfera, que está atrelado aos novos hábitos de consumo e produção.

No século 18, a concentração atmosférica do dióxido de carbono (principal gás de efeito estufa) aumentou 35,3%. De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), as emissões hoje são de 8,8 bilhões de toneladas de carbono (ou 32,3 bilhões de toneladas de CO2) ao ano, somando-se a queima de combustíveis fósseis (7,2 bilhões de toneladas) e emissões relacionadas ao uso da terra (1,6 bilhão de toneladas). Quase 60% desse carbono é absorvido pelos oceanos e pela biosfera, os dois grandes “ralos” de carbono do planeta. O restante fica na atmosfera – daí o aumento da concentração de CO2 no ar.

A queima de combustíveis fósseis nos diferentes setores e o uso da terra (principalmente o desmatamento de florestas tropicais) é responsável pelo lançamento de gases de efeito estufa na atmosfera (GEEs). Estas são apontadas como as duas principais contribuições humanas para a intensificação das mudanças do clima, o que faz urgente o debate sobre o redirecionamento da agenda de desenvolvimento das nações.

Por isso, se faz necessário compreender que a interferência humana no bioma, na flora e fauna e nas suas próprias formas de consumo e produção vai interferir no meio ambiente, dando resultados sobre a qualidade de vida de cada pessoa.

Adagoberto Ayala, workshop: meio ambiente, emissão de gases e efeito estufa.
Adagoberto Ayala, workshop: meio ambiente, emissão de gases e efeito estufa.

Paralelamente ao eixo sobre meio ambiente, emissão de gases e efeito estufa, aconteceu o workshop – Construindo Capacidade para Além do Clima, que foi organizado pela Associação Mundial de Bandeirantes. O foco do evento foi o desenvolvimento de habilidades e conhecimentos pessoais e como podemos usar isso para lidar com as questões climáticas. A principal mensagem é de ação conjunta onde cada parte avalia suas próprias potencialidades, bem como suas necessidades de conhecimento e pontos a melhorar.

Esse é um assunto bem importante e discutido pelos países na conferencia da ONU e o principal ponto dele é que os países devem trabalhar juntos quando estão pensando em mudanças climáticas. Cada um tem um conhecimento (científico, técnico etc.) para colocar na pauta e cada um pode sempre melhorar suas praticas e habilidades em relação ao tema. Esse processo dentro das conferencias intersessionais já acontecem onde países apresentam seus casos de sucesso.
Por fim discutimos como isso é um conceito que pode ser aplicado a tudo que fazemos na vida, seja em nosso trabalho ou relacionamentos, pois sempre temos algo a ensinar e também a possibilidade de crescer e aprender cada vez mais.

Il 28 sono avvenuti numerosi workshop su vari argomenti a COY10

Luiza Winckler e Reynaldo Gosmão, Agenzia di Stampa Giovanile

Dagoberto Anyala Pizzaro, rappresentante dell’organizzazione Comunidad Verde, ha parlato di ambiente ed emissioni di gas serra. Ha presentato lo storico delle emissioni di gas serra in atmosfera e la sua problematicità per gli esseri viventi.

Dagoberto ci ha permesso di comprendere come le nostre azioni influenzano direttamente la costruzione di un mondo più sostenibile. Dalla rivoluzione industriale ad oggi abbiamo avuto un aumento molto significativo dei gas serra in atmosfera, che è legato a nuove abitudini di consumo e produzione.

Nel XVIII secolo, la concentrazione atmosferica di anidride carbonica (principale gas serra) è aumentata del 35,3%. Secondo il Gruppo intergovernativo di esperti sul cambiamento climatico (IPCC), le emissioni odierne sono di 8,8 miliardi di tonnellate di carbonio (o 32,3 miliardi di tonnellate di CO2) all’anno, e vanno aggiunte ad esse la combustione di combustibili fossili (7,2 miliardi di tonnellate) e le emissioni legate all’uso del suolo (1,6 miliardi di tonnellate). Quasi il 60% di questo carbonio viene assorbito dagli oceani e dalla biosfera, i due grandi “pozzi di assorbimento” di carbonio del pianeta. Il resto è nell’atmosfera – aumentando così la concentrazione di CO2 nell’aria.

La combustione di combustibili fossili e l’uso del territorio (principalmente la deforestazione delle foreste tropicali) sono responsabili per l’immissione in atmosfera di gas serra (GEEs). Questi sono identificati come i due principali contributi umani all’intensificazione del cambiamento climatico, il che rende urgente il dibattito sul riorientamento dell’agenda di sviluppo delle Nazioni.

Pertanto, è necessario capire che l’interferenza umana nel bioma, nella flora e nella fauna e gli stessi fenomeni di consumo e di produzione influenzano l’ambiente, ed hanno effetti sulla qualità della vita di ogni persona.

Parallelamente al filone su ambiente, emissioni di gas e riscaldamento globale, è avvenuto il workshop Costruendo Capacità Oltre al clima, che è stato organizzato dall’Associazione Mondiale degli Scout. Il focus della manifestazione è stato lo sviluppo di competenze e conoscenze personali e sia possibile utilizzarle per affrontare le questioni del cambiamento climatico. Il messaggio principale è l’azione congiunta, in cui ogni parte valuta il proprio potenziale, le sue esigenze di conoscenza e le aree di miglioramento.

Si tratta di una questione molto importante e discussa dai paesi nella conferenza delle Nazioni Unite, e il punto principale è che, quando si tratta di cambiamento climatico, i paesi devono lavorare insieme. Ognuno ha una conoscenza (scientifica, tecnica, ecc) da mettere all’ordine del giorno, e ciascuno può sempre migliorare le proprie attività e le competenze in materia. Nelle conferenze intersessionali, dove i paesi presentano le proprie storie di successo, si sta già mettendo in pratica questo principo.

Infine si discute di come questo sia un concetto che può essere applicato a tutto ciò che facciamo nella vita, sia nel nostro lavoro che nei rapporti personali, visto che abbiamo sempre qualcosa da insegnare e anche la possibilità di crescere ed imparare sempre di più.

 

*Integrantes da delegação brasileira na COP20

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *