Foto de COY13

COP23 celebra a atuação das juventudes no combate às mudanças climáticas

| Por Paula Bonfatti, da Agência Jovem de Notícias São Paulo |

 

A ideia de que meninas e meninos devem participar da construção de caminhos para melhorarem suas vidas e suas comunidades vem ganhando força e converge com a ação dos próprios jovens, que reivindicam espaços de fala e manifestam, de diversas formas, suas demandas e opiniões sobre as decisões que os cercam.

Assim, a UNFCCC (Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudança Climática, sigla em inglês) vem se esforçando para promover espaços de participação de meninas e meninos nos debates sobre mudanças climáticas e meio ambiente. Na última quinta-feira (9), jovens de diferentes partes do mundo comemoraram o Dia da Juventude e das Gerações Futuras (Young and Future Generations Day), durante a 23ª Conferência das Mudanças Climáticas (COP23) em Bonn, Alemanha. A data foi escolhida pela UNFCCC para celebrar a participação de jovens nas conferências climáticas da ONU.

Ao longo do dia, o público da COP23 teve a oportunidade de assistir a painéis e participar de atividades e oficinas organizadas por adolescentes e jovens presentes na conferência. Além de celebrar a participação das juventudes em espaços como a COP, a data traz visibilidade para o papel estratégico de jovens no desenvolvimento de soluções inovadoras e ambiciosas para as mudanças climáticas.

Em um dos painéis organizado pela YOUNGO, grupo oficial de representação das juventudes na UNFCCC, o Representante do Secretário de Mudanças Climáticas da ONU reconheceu a importância da atuação das gerações mais novas nos debates sobre o clima. “Eu acredito que tudo o que estamos falando aqui, em termos de mudanças globais e climáticas, não pode acontecer sem o engajamento de jovens, de crianças e da educação.”

O painel contou com a apresentação de diferentes iniciativas jovens pelo mundo, assim como suas demandas e expectativas em relação à comunidade internacional e à UNFCCC. “É essencial que as nossas vozes sejam ouvidas e por isso demandamos um participação firme, poderosa e institucionalizada das juventudes na política international do clima, é preciso incluir delegações de jovens nas negociações”, disse a jovem embaixadora  do projeto Our climate our future, iniciativa da organização Aliança para a Educação Climática (Alliance for Climate Education).

O Acordo de Paris, estabelecido em 2015 durante a COP21, é o primeiro documento legal a reconhecer o princípio da equidade intergeracional. O princípio busca a justiça entre as gerações, ou seja, a igualdade de oportunidades de desenvolvimento socioeconômico no futuro, graças à prática da responsabilidade no usufruto do meio ambiente e de seus elementos no presente.

A inclusão do princípio de equidade intergeracional no Acordo de Paris é resultado da organização e incidência das juventudes nas negociações climáticas e um exemplo de como a participação política de jovens é essencial para garantir que suas necessidades sejam de fato contempladas.

Grande parte dos jovens que participam da conferência participam também da COY (Conferência da Juventude, sigla em inglês), um evento oficial da YOUNGO que acontece anualmente, nos três dias que antecedem a COP. O evento tem como objetivo formar adolescentes e jovens em políticas climáticas, estimular o trabalho em rede e facilitar a troca de conhecimentos e experiências entre os participantes.

Agência Jovem de Notícias

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *