Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/agenciajovem/public_html/wp/wp-includes/class-wp-post-type.php on line 526
(Português/English) COP19: Embaixador avalia resultado de neutro a negativo e garante consultas nacionais com a sociedade civil a partir de janeiro – Agência Jovem de Notícias

(Português/English) COP19: Embaixador avalia resultado de neutro a negativo e garante consultas nacionais com a sociedade civil a partir de janeiro

Por Iago Hairon e Evelyn Araripe

Foto: Diego Lozano

 De neutro para negativo, essa foi a frase que o embaixador José Marcondes, chefe das negociações do Brasil na COP19 usou para definir os resultados da 19ª Conferência Quadro das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas que aconteceu em Varsóvia, Capital da Polônia, de 11 a 22 no mês passado. Seu discurso foi durante o Colóquio internacional agenda pós-COP19, ocorrido nessa sexta-feira, 06 de dezembro, no Congresso Nacional.

Segundo ele as negociações foram marcadas por impasses gigantescos, pois, “não havia concordância em relação aos anúncios dos compromissos dos países”. Foram acordados recuos em compromissos internacionais de diversos países e relutância de países desenvolvidos na aprovação de diversas propostas, a exemplo da proposta de responsabilidade histórica das emissões de gases de efeito estufa lançada pelo governo brasileiro na Conferência.

“A COP19 em Varsóvia se consolidou antes mesmo de acontecer como uma COP de transição, ou seja, não eram esperadas grandes resoluções da conferência, mas sim a construção de metas para a COP20 em Lima e a COP21 em Paris. Isso pode ser notado no estresse político tanto das Partes que não chegavam a um acordo e dos movimentos sociais que deixaram a conferência no penúltimo dia em protesto a todo o processo que ali estava acontecendo”, resumiu Marcondes.

Em sua fala, a Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabella Teixeira, reforçou a ideia de que “é óbvio que precisamos mudar o processo de diálogo não só com as partes e não só com as ONGs, mas com os jovens, os trabalhadores e diversos atores que não são inseridos nesse contexto.” E essa seria uma nova agenda do Governo para reforçar o posicionamento do Brasil na COP20 que, segundo a Ministra, “será a COP da Amazônia”.

 

Consultas Nacionais

Uma das demandas de Varsóvia foi a abertura de consultas nacionais com a sociedade civil no intuito de inserir novos grupos no debate de mudanças climáticas. Marcondes afirmou que “possivelmente essas consultas deverão ser iniciadas em janeiro de 2014” em todo o país.

Em aspecto geral, as consultas serão uma forma importante de diálogo com o governo, porém é válido questionar como acontecerão essas consultas. Representantes da sociedade civil ligados à temática não querem que esse processo seja apenas um “teatro” onde os atores nele envolvidos pensem que estão fazendo a diferença. Por isso é importante cobrar legitimidade constitucional e reconhecimento institucional, para assim garantir realmente um processo de construção coletiva.

Nesse contexto, também é fundamental que a juventude esteja mais e mais engajada e atenta a tudo que está acontecendo. As perspectivas de mudanças, e a mudança em si, só ocorrem com o movimento contínuo. Afinal, falar de mudanças climáticas é, em uma determinada lógica, falar sobre nós mesmos.

 *www.engajamundo.org

(English Version)

COP19: Brazilian Ambassador evaluates the outcomes from neutral to negative and guarantee national consultations with civil society from January

By Iago Hairon and Evelyn Araripe

Photo: Diego Lozano

 From neutral to negative, this was the phrase used by the ambassador José Marcondes, head of Brazilian Delegation during the negotiations in COP19, to define the outcomes of the 19th United Nations Framework Climate Change Conference which happened in Warsaw, capital of Poland, from 11th to 22th at last month. His speech was during the International Colloquium of Post-COP19 Agenda, occurred last Friday, December 06, at the Brazilian National Congress.

According Marcondes, the negotiations were marked by massive deadlocks because “there weren’t agreements related to announcements of countries’ commitments”. On the other hand, there were decreases in international commitments of various countries and reluctance from developed countries in approving several proposals, such as the proposal for a historical responsibility for emissions of greenhouse gases leaded by the Brazilian government at the Conference.

“The COP19, in Warsaw, was consolidated, before it even happens, as the transition’s COP, ie, we were not expected the major resolutions at this conference, but the construction of goals for COP20, in Lima, and COP21, in Paris. This can be seen in the political’s stress of the Parties which couldn’t reach an agreement and at the social movements that have left the conference on the penultimate day in protest to the entire process that was going on there”, summarized Marcondes.

In her speech, the Brazilian Minister of Environment, Izabella Teixeira, she reinforced the idea that “it is obvious that we need to change the dialogue not only with the parties and not only NGOs, but with young people, workers and various roles that are not included in this context.” And it would be a new agenda of Brazilian government to strengthen the position of Brazil in the COP20 that, according to the Minister, “will be the COP of the Amazon”.

 

National Consultations

One of the demands of Warsaw was the opening of national consultations with civil society in order to insert new groups in the debate on climate change. Marcondes said “possibly such consultations shall be initiated in January 2014” across the country.

In overall aspect, queries are an important manner to dialogue with the government, however is valid to question how will these queries is going to be put in practice. Representatives of civil society related to the theme do not want that this process to be just a “theater” where the social roles involved just think that they are making a difference. That’s why this is important asking for constitutional legitimacy and institutional recognition, thus ensuring truly a process of collective building.

In this context, it is also crucial that the youth are more and more engaged and attentive to everything that is happening. The prospects for change and the change itself, only occur with continuous movement. After all, talk of climate change is, in a certain logic, talk about ourselves. 

 

*www.engajamundo.org

 

 

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *