A COP 21 está logo alí, mas será que estamos prontos para o evento?

COP21_evento_SP

Pedro Neves, da Redação | Imagem: Acervo Engajamundo

A COP 21 já beira nossa esquina, um evento que vai ditar a sustentabilidade do Planeta Terra. Será que vamos nos conscientizar e pensar como um só? As metas estabelecidas são ambiciosas? Podemos ou não ficar tranquilos? Essas e tantas outras perguntas foram respondidas e debatidas na última quarta feira (1º) em um evento denominado Entrando no Clima, organizado pelo Engajamundo, uma organização não governamental, sem fins lucrativos e apartidária que se preocupa em tornar o envolvimento da juventude brasileira em negociações internacionais mais efetiva e inclusiva.

O encontro do dia 1º de julho, organizado por essa galara, teve o intuito de unir diferentes pautas e chamar especialistas para discutir sobre a COP 21 e as metas do Brasil. “Escolhemos os temas pela importância e pelo panorama geral, tentamos abraçar o ponto de vista acadêmico, da sociedade civil, do governo e da iniciativa privada”, conta Marcelo de Medeiros, coordenador do GT de Mudanças Climáticas do Engajamundo.

O congresso teve início às 9h e acabou por volta das 18h. Foram divididos 4 painéis com tópicos e convidados diferentes, nos quais os participantes faziam perguntas. O Engaja ainda transmitiu tudo ao vivo e acolheu dúvidas dos internautas. “Os palestrantes foram escolhidos por sua experiência e atuação relevante na sua área sobre o tema”, explica Marcelo. Entre as pautas discutidas estavam os seguintes tópicos: Mudanças climáticas no mundo urbanizado; Atividade das ONGs, empresas e governo; As conclusões da ciência e a definição da meta brasileira para a COP21 e o papel dos jovens no assunto.

Muito se falou e diversas opiniões foram expostas. Dos palestrantes, destaques para Adriano Santhiago, diretor do departamento de Mudanças Climáticas no ministério do meio ambiente; Carlos Rittl, secretário executivo do Observatório do Clima; Guilherme do Prado Lima, da divisão de clima do ministério das relações exteriores e Enrique Murtua, coordenador da CAN (Climate Action Network). Cada painel era mediado por algum jovem do Enjamundo, que demonstraram não temer o terno e a gravata na hora de criticar, perguntar ou sugerir.

O Engaja organiza desde 2013 formações nas 5 regiões do país, com realidades climáticas e opiniões  distintas. Lá, os jovens puderam debater e entender um pouco mais sobre clima e as preocupações que ele acarreta. A ideia é conscientizar e mobilizar, para depois influenciar a família, rua e comunidade para ações mais sustentáveis.

“Estamos fazendo diversas atividades em preparação para a COP 21, uma das principais é a realização de grupos de estudos sobre clima e negociações internacionais da UNFCCC (Convenção-Quadro sobre as alterações climáticas da ONU)”, diz Marcelo de Medeiros. “Em outubro vamos à Brasília pressionar o governo por uma meta ambiciosa de redução de gases de efeito estufa. Estamos planejando um ‘advocacy tour’ antes desse evento. O intuito é ter reuniões com representantes de alguns ministérios para mostrar nosso posicionamento e cobrar. No dia 29 de novembro faremos uma mobilização e convidaremos a população para se manifestar pelo clima do planeta”, completa.

 

Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *