CONHEÇA O PROGRAMA JUVENTUDE EMPREGADA

Iniciativa Youth Voices Brasil lançou um programa de formação com três meses de duração, focado em temas relacionados à empregabilidade das juventudes brasileiras, com recortes sociais, de raça e de gênero. Inscreva-se até 22 de junho

Jovens brasileiros de 15 a 29 anos, representam quase 1/3 da população economicamente ativa. Apesar de serem uma parte significativa da população, 54% estão desocupados.

O grupo da juventude é diverso não apenas em relação às inúmeras identidades que pode compor em termos de gênero, cor, renda, território, sexualidade, entre outras. Mesmo dentro de uma faixa etária específica, há distintas etapas da vida de um jovem, sendo divididas entre as seguintes faixas de idade:

  • 15-17 anos, em que a maioria se concentra nos estudos;
  • 18-24 anos, jovens no período de transição entre estudos e trabalho;
  • 25-29 anos, participantes em maioria da força de trabalho.
  1. 24% estavam indisponíveis devido a responsabilidades familiares como cuidar de crianças ou adultos incapacitados;
  2. 13% estavam desencorajados: acreditavam que não há oportunidade de emprego;
  3. A maioria dos jovens sem estudo estão na faixa etária entre 18-24 anos, são mulheres, negras e da região nordeste, possuem fundamental incompleto e são parte dos 10% mais pobres da população.

A taxa de desocupação tem aumentado entre os jovens de 18 a 24 anos. Segundo o IBGE, a taxa de desemprego de jovens entre 18-24 anos no primeiro trimestre de 2013 era de 16,4%. No primeiro trimestre de 2019, esse número já havia subido para 27,3%. No terceiro semestre de 2020, esse número chegou a 29,7%, aspecto acentuado pelo desafio da transição para o mercado de trabalho no contexto da pandemia do coronavírus.

O dado é alarmante ao demonstrar que a maioria dos jovens sem estudos e sem trabalho já estão desengajados do mercado de trabalho e da educação. Em 2019, ao agrupar esses fatores, percebemos que tais pessoas encontram-se, na maioria das vezes, em situação de alta vulnerabilidade social e econômica. Essa condição está profundamente ligada a preconceitos estruturais que também constituem barreiras de acesso ao mercado de trabalho.

O cenário já vulnerável dos jovens se acentuou com a pandemia do COVID-19.

Na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) sobre a evolução trimestral das taxas de ocupação dos jovens, no primeiro trimestre de 2020, era observada uma taxa de 48.6% de ocupação.

Segundo o Conselho Nacional da Juventude (CONJUVE), com a pandemia, os jovens, que já faziam parte de um grupo vulnerável no mercado de trabalho, passaram a uma condição ainda mais adversa: 27% pararam de trabalhar, 19% pararam temporariamente, 6% foram demitidos e 2% viram o lugar onde trabalhavam fechar. Além disso, 5 a cada 10 jovens declararam perda ou diminuição de renda.

Também notamos a potencialização de algumas tendências do mercado de trabalho durante a pandemia: Com o crescimento do home office, a falta de acesso à internet pode exacerbar desigualdades já existentes.

Enquanto 78% dos jovens brancos que responderam à pesquisa do CONJUVE tiveram acesso à internet pelo computador ou notebook, apenas 54% dos pretos e pardos responderam o mesmo.

Os processos de contratação também se tornam mais seletivos durante a pandemia do COVID-19, comportamento que se observa durante ciclos de recessão.

Além do maior número de candidatos em razão das taxas elevadas de desemprego, tivemos altas na busca por habilidades digitais e competências socioemocionais, que não eram demandadas anteriormente em uma escala tão alta como agora.

O termo “nem-nem” (de “nem trabalha, nem estuda”) é um termo muito utilizado para se referir à população jovem fora do mercado de trabalho e de instituições educacionais. Nos últimos anos, 1/4 dos jovens se encontram nessa categoria.

Contudo, o termo “sem-sem” foi cunhado pelo Youth Voices Brasil como um termo mais adequado uma vez que, em sua maioria, são jovens sem estudo ou sem trabalho porque faltam oportunidades e caminhos para isso.

Sobre o Programa Juventude Empregada

O #JuventudeEmpregada é um movimento, criado pelo Youth Voices Brasil, que coloca a juventude no centro do debate e da ação em prol da inclusão produtiva. Em um cenário em que os jovens constituem a parcela mais vulnerável do mercado de trabalho, o YVB busca engajar os diversos setores da sociedade na construção de soluções capazes de abarcar as principais questões da juventude brasileira.

A iniciativa surgiu em 2021 com a criação da cartilha Juventude Empregada, a qual dispõe de uma ampla coleta de dados para traçar um panorama dos principais desafios da juventude no acesso ao mercado de trabalho.

A partir disso, foi apresentada uma série de boas práticas tanto a nível nacional quanto internacional, além de recomendações sobre como o setor público pode endereçar os problemas identificados e implementar políticas que atendam às necessidades dos jovens.

Agora, nesta nova etapa do Juventude Empregada, o Youth Voices Brasil busca se unir a quem é protagonista e também beneficiária das transformações desejadas: as juventudes brasileiras.

O YVB lança este programa de mobilização local para disseminar a pauta da empregabilidade jovem Brasil afora, objetivando apoiar jovens líderes a se tornarem promotores da inclusão produtiva da juventude em suas comunidades e territórios.

Por isso, o Youth Voices Brasil organizará, em julho, a Semana da Empregabilidade Jovem a fim de fortalecer e dar visibilidade às ações positivas. Entre julho e setembro, as pessoas jovens capacitados pelo YVB atuarão na construção de um movimento nacional em prol da temática, promovendo ações e eventos online.

Como funciona:

  • Treinamentos: as pessoas participantes receberão formações sobre advocacy, empregabilidade jovem, além de estratégias de comunicação e organização de eventos durante o mês anterior à Semana de Empregabilidade Jovem. Os treinamentos ocorrerão, em sua maioria, aos sábados pela manhã, entretanto, o cronograma está sujeito a alterações mediante disponibilidade dos especialistas convidados.
  • Mão-na-massa: após a formação, as pessoas participantes organizarão eventos como lives e webinars, que podem contar com a participação de outros palestrantes e de autoridades locais para discutir medidas de inclusão produtiva da juventude. O YVB dará suporte para a realização e impulsionamento do evento.
  • Pós-evento: as pessoas participantes deverão submeter um mini-relatório com uma breve descrição e um registro do evento bem como o número de pessoas impactadas.
  • Certificação: se cumpridas todas as etapas, as pessoas participantes serão certificadas com o título de Mobilizador(a) do Juventude Empregada.

Toda a juventude participante poderá ter acesso às oportunidades de trabalho e capacitação exclusivas divulgadas na rede do YVB.

Quem pode participar:

Pessoas entre 16 e 29 anos (menores de 18 anos que forem selecionadas deverão preencher um termo assinado pelo responsável, autorizando a participação no programa), que tenham interesse na temática da empregabilidade jovem. Ser pessoa engajada em causas sociais não é obrigatório, mas é considerado um bônus.

O convite à participação é reforçado para mulheres, pessoas com deficiência, pessoas pretas, pardas ou indígenas (PPI), LGBTQIA+ e de comunidades periféricas.

O processo de inscrição não levará em conta critérios como posicionamento político, religião e afins.

O formulário será disponibilizado nas redes sociais do YVB e ficará disponível entre os dias 12 e 22 de junho.

Importante:

Certifique-se de que, entre julho e setembro, você dispõe de 3 a 5 horas semanais para se dedicar às atividades do Juventude Empregada. As formações ocorrerão preferencialmente aos sábados, sendo possíveis alterações no cronograma de acordo com a disponibilidade dos especialistas convidados.

Caso tenha problemas para acessar o formulário ou enviar os materiais solicitados, entre em contato conosco por email: contatoyvb@gmail.com

Sobre o Youth Voices Brasil

O Youth Voices Brasil é uma rede composta por 30 jovens voluntários que atuam em prol da empregabilidade jovem no Brasil de maneira independente, com apoio da Y2Y Community e o Banco Mundial. A rede existe no Brasil desde 2018, e, em 2020, passou a focalizar suas atividades na democratização de oportunidades e inclusão produtiva da juventude brasileira. Acompanhe a rede no Instagram.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *