Conheça a Biblioteca Kal Cordeiro

O acervo – iniciativa do coletivo Arqueperifa – reúne títulos escritos por pessoas do território de Parelheiros e está disponível para acesso virtual no Google Drive

Por Redação AJN


O Arqueperifa – coletivo periférico que trabalha pela visibilidade e valorização do território de Parelheiros, com viés político geográfico, visamos promover empoderamento e engajamento cidadão, inaugurou no último dia 03 de outubro uma biblioteca comunitária e colaborativa que reúne títulos escritos por pessoas pertencentes à região de Parelheiros, zona sul de São Paulo.

A biblioteca está disponível inicialmente para acesso virtual devido aos riscos da pandemia do coronavírus, e a equipe já anunciou em seus canais nas redes sociais que a biblioteca também terá endereço físico em breve.

Acervo que dialoga com o território

O Acervo da Biblioteca Kal Cordeiro conta com livros, artigos e textos escritos por pessoas desse território ou sobre esse território, distribuídos em pastas temáticas que vão desde Agricultura, Arte e Educação até áreas como Saúde, Turismo, Urbanização e textos sobre questões indígenas. 

A Biblioteca virtual está hospedada na plataforma Google Drive, e qualquer pessoa pode acessar o acervo, que está em constante construção, através de link.

Clique aqui para acessar a Biblioteca Kal Cordeiro

Homenagem a Kal Cordeiro

O nome da biblioteca é uma homenagem a Kal Cordeiro:

Moradora do bairro Vargem Grande, Kal atuava no coletivo Rusha Montsho, no território de Parelheiros. Através do coletivo, desenvolveu projetos junto à juventude periférica abordando temas como raça, sexualidade e gênero.

Kal Cordeiro trabalhava com fotografia de eventos e, através de suas lentes, registrava de forma única e sensível grupos e pessoas periféricas, sempre militando pelos direitos das pessoas negras, das mulheres e de pessoas LGBT.

Kal faleceu em 2018, deixando sua marca na vida cultural da região de Parelheiros. Seu perfil no Facebook foi transformado em memorial e sua conta no Instagram foi mantida. Por lá, é possível conhecer o trabalho da fotógrafa.

Nas redes, o pessoal do Arqueperifa registrou o sentido da homenagem:

“Kal quando partiu em 2018,nos deixou esse legado de luta e resistência; Desejamos que a Biblioteca Kal Cordeiro seja uma extensão do que ela defendia: Jovens periféricos tendo acesso a conhecimento, se empoderando e apropriando dos seus direitos.”

Quer acompanhar o trabalho do Arqueperifa nas redes sociais? Siga o coletivo no Facebook, no Instagram, no Youtube e no Spotify.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *