One Comment

  1. Antonio
    3 de abril de 2018 @ 16:08

    Também não quero, daí andar a aprender as técnicas (isso e a empregabilidade). Mas é preciso um controlo apertado da recolha e distribuição, apoiado em penas fortes para falhar propositadas e negligentes. Que parece ser o que a UE conseguiu fazer com a GDPR, a entrar em vigor em Maio e que afecta todas as empresas que fazem negócios com a Europa, estando cá ou não. O que fazer, enquanto cidadão, é andar em cima das empresas a ver que dados têm e para apagarem a informação quando não for necessária, instrumentos obrigatórios graças a essa directiva. Há ainda o direito a ser esquecido, de balanço bastante mais complicado, mas com razões de ser. A Europa não se esqueceu das lições da segunda guerra e da guerra fria, felizmente.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta ao Topo