Como nossos pais: educação ambiental começa nas famílias

Desde que eu criei o blog Ela é Quente, em julho desse ano, muita gente me pergunta: qual história você gosta mais? O que mais te marcou? E a resposta é: “complicado”! Quando decidi contar as histórias de vida de mulheres que estão em diferentes frentes ajudando a combater as mudanças climáticas eu aprendi muito. Cada história é especial. Cada história tem um ar revolucionário que me inspira.

Mas eu já posso dizer o que mais tem me chamado a atenção: A influência que as mães e pais dessas mulheres têm em suas histórias. Eu já entrevistei 20 mulheres e todas, unanimemente, relatam como os seus pais eram pessoas inspiradoras, conectadas com causas, muitos já com preocupações ambientais antes mesmo de se surgir a expressão “mudanças climáticas”.

E isso me faz pensar na força do nosso DNA. No quanto aquilo que crescemos vendo e vivendo dentro de casa nos influencia para toda a vida. E isso por um lado me alegra, ao pensar que existem essas famílias criando e formando gerações preocupadas com o planeta, e também me preocupa.

Vamos observar os fatos: estamos vivendo os anos mais quentes registrados na história. A grande causa é o modelo de vida que adotamos. O uso elevado de combustíveis fósseis (como aquela gasolina que roda o seu carro ou o diesel do busão), uma agricultura baseada predominantemente no uso de agrotóxicos, uma pecuária responsável pela maior parte do desmatamento… E ali na ponta nós, as pessoas, consumindo esse modelo; Ali estão os pais de hoje e de amanhã que talvez sigam a vida sem se questionar o porquê de levarem duas horas para se deslocarem de casa ao trabalho ou o porquê de termos hoje doenças que não eram comuns no passado (zika vírus manda oi!).

A sociedade, em geral, adotou um modelo de vida que já nos “presenteou” com o dado de que as crianças de hoje serão a primeira geração a viver menos que os seus pais. Mas eu prefiro ser otimista. Esse otimismo vem ao escutar e escrever a história dessas mulheres quentes inspiradas por suas famílias. São elas que me fazem crer que ainda existem essas famílias inspiradoras, que vão ensinar as suas crianças que novos modelos de sociedade são possíveis e necessários e que elas podem lutar por isso.

Por isso, às mães e pais de plantão (ou futuros), a provocação que deixo esse mês é: que mundo você quer deixar para as suas crianças? Que inspiração você quer ser para elas? Independente da sua resposta, comece a buscar isso agora!

Evelyn Araripe
Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *