Com dança circular, Fortaleza (CE) inicia campanha “é da nossa conta! Trabalho infantil e adolescente”

Ação, realizada na escola municipal Frei Tito, contou com o apoio da Fundação Pirata Marinheiros

Por Mike Tavares, adolescente comunicador da Agência Jovem de Notícias, e Rafael Stemberg, da Redação, em Fortaleza (CE)

A tarde do dia 31 de outubro foi reservada pela escola municipal Frei Tito para falar sobre um assunto delicado na região da Praia do Futuro, em Fortaleza (CE): o trabalho infantil e adolescente. Durante quase trinta minutos, estudantes do 6º ao 9º ano do ensino médio ouviram o recado dado pelo grupo de jovens formado por participantes da Fundação Pirata Marinheiros que tinham o desafio de apresentar a campanha “é da nossa conta! Trabalho infantil e adolescente”.

Mas antes desse grupo chegar à escola, eles participaram de uma formação que apresentou o quadro atual do trabalho infantil e adolescente no Brasil. Para isso, foram reservados dois momentos, o primeiro na segunda, 29, que aconteceu no espaço da própria Fundação Pirata e, no dia seguinte, no Centro Cultural Zé Testinha, outros jovens também se interaram do assunto.

A escola Frei Tito foi escolhida por estar situada em uma região com alto índice de crianças trabalhando, muitas delas vendendo alimentos para os turistas na praia ou exercendo atividades domésticas que as colocam em situação de risco, comprometendo o seu desenvolvimento.

“A campanha veio somar as ações já desenvolvidas pela Fundação Pirata Marinheiros em seus projetos e na coordenação do FEETI-CE (Fórum Estadual pela Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalhador Adolescente no Ceará). Acreditamos ser de suma importância o processo de mobilização e conscientização da população sobre a problemática e o perigo do trabalho infantil. Quando a criança ou adolescente é consciente dos seus direitos e deveres, é incrível o poder de voz que ela tem entre seus amigos e familiares”, diz a diretora da Fundação Pirata Marinheiros Tabhta Santiago.

Como forma de chamar a atenção dos estudantes, foi realizado na escola um quiz, com perguntas relacionadas ao trabalho infantil e adolescente, distribuição de brindes e materiais informativos da campanha. Para finalizar a ação, uma grande ciranda foi formada para reforçar a ideia de que criança deve apenas brincar e estudar e de que será preciso algo coletivo, como foi a dança, para mobilizar e compartilhar um país #semtrabalhoinfantil.

“Sabemos que esse é um trabalho de formiguinha, por isso acreditamos que o alerta deve ser constante. Por isso, além da ação na escola Frei Tito, iremos realizar outras ações, uma delas será na final do Prêmio Peteca, outra na praça do Dragão do Mar, e já estamos articulando com outras escolas para que possamos realizar ações semelhante a realizada na Frei Tito. Também sentaremos com os demais membros da coordenação do FEETI-CE e articularemos outras ações que possam levar ao maior número de pessoas a mensagem da campanha”, adianta Tabhta.

Saiba mais:

Conheça a campanha “é da nossa conta! Trabalho infantil e adolescente”

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *