Cof, cof! Animação demonstra importância do distanciamento

Publicada pelo jornal The New York Times, a peça em 3-D simula o que acontece quando alguém tosse em um ambiente fechado.

Por Silvana Salles, especial para a Agência Jovem de Notícias

Para demonstrar a importância do distanciamento social no combate ao novo coronavírus, o jornal norte-americano The New York Times produziu uma animação algo perturbadora sobre a trajetória das gotículas que saem da sua boca quando você tosse, espirra, fala ou apenas respira. O contato com essas gotículas é a forma mais comum de contrair doenças de transmissão respiratória, como a gripe ou a própria covid-19, porque os vírus estão presentes na saliva, no muco e em outras secreções de pessoas infectadas.

Baseada em dados de pesquisa do Instituto de Tecnologia de Kyoto, no Japão, a animação simula o que acontece quando alguém tosse dentro de um ambiente fechado. Na simulação, o ambiente é uma sala de cerca de 55 metros quadrados.

Uma tosse forte pode liberar no ar o equivalente a 1/4 de colher de chá de fluido, distribuído entre gotículas maiores e menores. Parte das gotículas maiores caem no chão. A outra parte se divide em gotículas menores. No vídeo acima, postado no perfil do New York Times no Instagram, as gotículas maiores estão representadas em azul e as menores, em branco.

Segundo mostra a animação, mantendo pouco menos de dois metros de distância da pessoa que está tossindo, você consegue escapar das gotículas maiores, que em um minuto caem no chão ao redor dela. É justamente essa a distância que o Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos vem recomendando que os norte-americanos mantenham entre si durante a pandemia de covid-19. A recomendação da Organização Mundial de Saúde é menos ambiciosa. A entidade recomenda manter pelo menos um metro de distância das outras pessoas em locais públicos.

No entanto, os dados utilizados pela equipe do New York Times sugerem que as gotículas menores podem viajar até uma distância de quase cinco metros em 20 minutos. Um espirro é ainda mais potente e pode lançar as gotículas a oito metros de distância do ponto de partida!

Vale ter em mente que, em ambientes diferentes, as gotículas podem se comportar de outras maneiras. Além disso, a pesquisa dos cientistas japoneses ainda não passou pela revisão por pares, o que quer dizer que os dados poderão ser revisados antes da publicação definitiva na forma de um artigo científico. Enquanto a ciência trabalha para validar (ou não) esses dados e encontrar um remédio eficiente contra a covid-19, o melhor é manter o distanciamento social, não é mesmo?

Silvana Salles é ex-virajovem e possui o seu blog na plataforma Medium. Ela se define como “uma jornalista que se enrolou em um labirinto de assuntos e está tentando se achar no meio dele”.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *