Cidades sustentáveis possíveis

Maurício Broinzi, um dos convidados do Painel 2 do Encontro de Juventude e Educação para a Sustentabilidade Socioambiental, contou sobre a experiência da Rede Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis.
Eles fizeram uma pesquisa dos programas dos candidatos á prefeitura das principais cidades brasileiras e constataram que não há quase menção à sustentabilidade. Por isso, entre as ações de Cidades Sustentáveis está justamente o levantamento de soluções sustentáveis que já estão em prática pelo mundo e podem ser adotadas pelas prefeituras. No site www.cidadessustentaveis.org.br, há um banco de idéias, ou de “boas práticas” para inspirar cidadãos, prefeitura e projetos em geral. Entre as boas práticas, está o exemplo da cidade de Bogotá na Colômbia que desde 1998, vem transformando todo seu sistema de transportes. “Até agora, foram construídos mais de 300 km de ciclovias, que se estendem desde as áreas de favelas e subúrbios até o centro da capital. O traçado inclui uma rede de lazer, faixas locais e um sistema longo em áreas verdes. O transporte público também foi melhorado. Não há metrô na cidade, mas o TransMilenio, um sistema rápido e acessível de ônibus, que conta com numerosas estações. Devido à restrição de veículos particulares no centro da cidade na hora do rush, pela implantação do sistema de rodízio, conjuntamente com o sistema de faixas preferenciais para transporte coletivo, esses ônibus funcionam três vezes mais rápido que um típico ônibus de Nova York, o que equivale a 28 km por hora. Além disso, com o programa “Domingo sem Carro”, cidadãos utilizam as vias públicas como parques abertos para a prática de esportes e lazer. “

Outro exemplo, desta vez no Brasil, é a cidade de Piraí, que levou a sério o lema “banda larga para todos”, disponibilizando o sinal de banda larga para toda cidade e construindo quiosques em que a população pode agendar e acessar diversos serviços públicos por meio da internet.

Uma das estratégias do Cidades Sustentáveis, é conversar com os partidos e candidatos à prefeitura para que eles conheçam o programa e assinem uma carta de compromisso. No site, pode-se ver a relação de políticos já compromissados. Agora é torcer para que estes compromissos extrapolem a assinatura e tornem-se práticas concretas, pois já vivenciamos com decepção a lógica de muitos políticos que se comprometem, mas não tem vontade, força e estratégia suficientes para cumprir seus deveres junto à população.

 

Por Gisella Hiche

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *