Childhood Brasil lança campanha contra violência sexual infantil durante o mundial de futebol

childhood

A Childhood Brasil, organização que atua há 15 anos no país por uma infância livre de exploração e abuso sexual, lança a ação #BrasilNaDefesaDaInfância, um alerta para os riscos dessa violação de direitos durante o maior evento de futebol do mundo. A divulgação inicia um pouco antes do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, data lembrada todo dia 18 de maio. Segundo o Disque-Denúncia Nacional da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), foram registrados mais de 120 mil denúncias de violações de direitos de crianças e adolescentes em 2013.

Com a chegada do Mundial, a grande concentração de turistas nas cidades que receberão as partidas, tanto estrangeiros como brasileiros e a decorrente demanda por serviços temporários podem provocar o aumento do trabalho infantil e de uma série de fatores de vulnerabilidade que propiciam o cenário para a exploração sexual de crianças e adolescentes.

A ação #BrasilNaDefesaDaInfância resultou em um vídeo, gravado no mês de fevereiro, com a participação dos brasileiros Neymar Jr. e Daniel Alves, que alertam sobre a necessidade do Brasil “jogar na defesa” neste Mundial pela proteção de crianças e adolescentes contra a exploração e o abuso sexual. “Sabemos que em muitas famílias o abuso e a exploração sexual aconteceram ou acontecem. Por isso, é importante que a gente discuta esse assunto nas nossas casas, com os amigos e conhecidos. Encarar o assunto é o primeiro passo para enfrentar algo que é tão complicado e grave”, diz Daniel Alves.

Segundo a pesquisa Exploração de Crianças e Adolescentes e a Copa do Mundo: uma análise dos riscos e das intervenções de proteção, da Brunel University London, grandes eventos esportivos intensificam os riscos de violação de direitos de crianças e adolescentes. A Childhood Brasil, em parceria com a OAK Foundation, lançou o estudo no Brasil com o objetivo de ajudar o país a evitar armadilhas e erros passados relacionados à exploração de crianças e adolescentes e influenciar os responsáveis pela organização dos grandes eventos esportivos, como Fifa e COI.

A pesquisa realizada e concluída em 2013 envolveu a revisão de aproximadamente 300 publicações, relatórios e sites, estudos de caso e consulta a mais de 70 grupos importantes de interessados, organizações sociais, organizações esportivas e governo, dentre os quais a própria Childhood Brasil, o UNICEF, FIFA e associações de futebol.

Denuncie!

Para agir como um agente de proteção da infância e denunciar casos de abuso ou violação dos direitos de crianças e adolescentes, disque 100 para o Disque-Denúncia Nacional.

Para saber mais acesse o site.

Adaptação por Carolina Ellmann | Imagem: Divulgação

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *