Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdade lança projeto contra o racismo na infância

evento_ceert

Da Redação | Imagem: Leo Castro

Alcançando a lotação máxima de um auditório na cidade de São Paulo, o Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdade (CEERT), realizou nesta quinta-feira, dia 17 de julho, a solenidade de lançamento do projeto “Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e Adolescente na Promoção da Igualdade Racial”, com a presença de nomes que são referência não só na luta pela equidade entre as raças, mas também profissionais envolvidos com questões pertinentes à Criança e ao Adolescente.

A proposta do encontro foi apresentar o projeto que visa mostrar como o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) pode ser usado como instrumentos imprescindíveis para o enfrentamento da discriminação racial na infância e adolescência e para a adoção de políticas igualitárias através da participação de órgãos públicos e sociedade.

Dados do Conselho Nacional de Adoção, regido pelo Conselho Nacional de Justiça, apontam que 47% das pessoas interessadas em adoção declaram que a cor da pele do futuro filho é uma informação relevante e 37% preferem exclusivamente crianças brancas. Em maio de 2011, um total de 30.378 interessados inscritos e 7.949 crianças e adolescentes disponíveis para adoção, sendo que a maioria destas 51%, constituída por negras e pardas.

Em virtude de questões como esta, o CEERT com patrocínio da Petrobras, e apoio da Ordem dos Advogados e do Tribunal de Justiça de São Paulo, criou o projeto a fim de levantar informações sobre casos de discriminação às crianças e adolescentes. A ideia é produzir livros e vídeos referentes ao assunto. Serão realizados ainda cinco seminários regionais e implementado um curso de formação continuada para os conselheiros tutelares.

Estima-se agora que será anunciada uma parceria com o Tribunal de Justiça (TJ), onde o CEERT irá divulgar um rol de pesquisadores, mestres e doutores, negros e brancos, para dialogar com os interessados em adoção. Uma iniciativa do TJ e do CEERT pioneira para minimizar a rejeição às crianças negras no processo de adoção.

Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *