Ceará – Combate ao Trabalho Infantil em forma de música

Por Luana Barros 

A adolescente Jeu Gomes Monteiro iniciou as atividades da tarde de sexta (11), da 9ª Conferência, no Ceará,  com uma canção que trazia a temática do Trabalho Infantil

“Eu quero ser a voz que te deserta para essa ação”, é uma das muitas frases da canção entoada por Jeu Gomes Monteiro, 14 anos, na tarde do segundo dia da Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. A canção fala sobre o Trabalho Infantil e foi escrita pela professora de Artes da Escola de Ensino Fundamental Demóstenes Ratts Barbosa, Ana Célia, durante a realização Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho de Criança e Adolescente (Peteca).

 Vinda de Juazeiro do Norte, Jeu ficou emocionada ao cantar. “A música é linda e bela, fala toda a verdade sobre o trabalho infantil. Eu senti a música mesmo. E quando eu canto essa música veio à emoção e veio na minha imaginação aquelas crianças”, disse.

Sobre o trabalho infantil, a cantora se mostra indignada. “Dá pra imaginar uma criança de oito anos trabalhando, pegando peso? Não entra na minha cabeça. Já tem exploração sexual que é pior. Agora, criança trabalhar já vai juntando tudo isso como se fosse uma bomba nuclear, que bota no nosso país e fica lá”, lamenta Jeu.

Ela falou, também, da importância da iniciativa para combater essa prática. “Tem gente que tá tentando diminuir cada vez mais o índice de crianças trabalhando. Se tivesse mais ajuda, seria bem melhor. Pensa como seria melhor o nosso país sem trabalho infantil, com criança na escola.”

Depois da apresentação, o procurador Ântonio Oliveira Lima, integrante do Fórum de Enfrentamento ao Trabalho Infantil, sugeriu a Jeu a gravação do vídeo com a canção para ser apresentada nos municípios por onde a Caravana Cearense contra o Trabalho Infantil for passar. A adolescente disse estar ansiosa para que isso ocorra. “Eu tô bem nervosa. Mas eu estou bem feliz. Porque minha carreira é ser cantora e eu acho que mostrando esse vídeo pode mostrar um pouco do meu talento, vai que abre uma porta pra mim também”, conclui.

Saiba mais sobre a 9 Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *