Ativistas na linha de frente

Por Vittorio e Lorenzo, da Stampa Giovanile
Traduzido por
Carlotta Zaccarelli (Inglês) e por Juliane Cruz (Português)

As últimas negociações da ONU sobre as mudanças climáticas produziram quase nenhum efeito. O desapontamento de ambientalistas do mundo todo levou à fundação de muitas organizações cujo objetivo é conscientizar sobre o problema e colocar os governos em ação.

Na Conferência Internacional da Juventude (COY14), realizada em Katowice (Polônia) de 29 de outubro a 1 de novembro, encontramos alguns ativistas da Generation Zero (Geração Zero) – um movimento da Nova Zelândia comprometido à promulgação da Lei do Carbono Zero. Esta é uma lei que permitirá alcançar o objetivo de 0 emissões até 2050 graças à chamada “Abordagem de Duas Cestas”. Por um lado, reduzirá as emissões dos gases de efeito estufa que permanecem na atmosfera por mais tempo. Por outro lado, reduzirá a emissão de gases de efeito estufa que permanecem na atmosfera por um curto período de tempo.

Os esforços da Generation Zero já produziram o primeiro resultado, já que a Lei do Carbono Zero se tornou um projeto de lei. Além disso, o movimento conseguiu essa conquista importante apenas três anos após sua criação! Sobre este assunto, declarou: “Se você for grande, as pessoas seguirão você”.

A eficácia do trabalho do grupo neozelandês despertou admiração em muitos outros ativistas, incluindo Carola Rackete, representante da Extinction Rebelion. Esta é uma organização inglesa que também está comprometida em salvar o ecossistema. Conversando com Carola, ela nos contou a ideologia do movimento e seus planos futuros. Ela afirma firmemente que “[nossas] manifestações são baseadas no princípio da não-violência” e acrescenta que, para ela, o ativismo é a única ferramenta útil para obter resultados concretos, exatamente como aconteceu no passado.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *