As Juventudes no II Encontro Paulista de Juventude e Meio Ambiente- EPAJUMA


Por Alcebino (Bino)

Entre os dias 27 de abril e 1º de maio, tive o prazer de conviver  com jovens com os mesmos sentimentos que os meus, que de alguma forma foi possível contribuir com os caminhos que o mundo terá nas questões ambientais, e soubemos que para isso a troca de experiência e o acesso às informações em torno deste tema é muito importante. E foram essas uma das propostas do 2º EPAJUMA (Encontro Paulista de Juventude e Meio Ambiente), organizado pela REJUMA*, que aconteceu em Presidente Alves (SP), munícipio com população de 4.123 habitantes, sendo apenas 580 jovens.

O encontro contribuiu com a mobilização e qualificação do processo de participação política das juventudes do Estado de São Paulo na Cúpula dos Povos para o desenvolvimenbto sustentável- RIO + 20, que acontecerá durante a conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável (UNCSD 2012) no Rio de Janeiro, em junho deste ano.

O munícipio de Presidente Alves é cercado por um verde incrível e com árvores nativas, e todos os espaço públicos foram otimizados e usado para o evento. O interessante é que no munícipio ainda não possui o Conselho Municipal de Meio Ambiente e nenhuma outra sociedade civil organizada, mas mesmo assim conseguiu mobilizar toda a galera jovem e moradores a contribuir na organizacão  e logística. Conversando com o diretor de Meio Ambiente e interlocutor do munícipio, Fábio Sclauzer,  ele disse que vai aproveitar este momento em que a galera está mais sensibilizada para as questões ambientais e pensar junto a eles o conselho municipal de meio ambiente, que contribuirá  para a melhoria da cidade.

Nos primeiros dias de encontro, os temas giraram em torno da agricultura familiar e a expansão da monocultura; já as oficinas  possibilitaram que houvessem uma maior integração com os colegas e a troca de experiências. Nelas pudemos colocar nossos anseios e perspectivas para um ambiente mais sustentável, além de expor as problemáticas de nossa localidade e região hidrográfica, fizemos todo um mapeamento da nossa região e juntos pudemos levantar possíveis soluções. De todo o material produzido será elaborado um documentário e um livro que será apresentado na Cúpula dos Povos. As oficinas contribuiram para o conhecimento, sensibilização e reutilização de recursos e materiais. Participei da oficina de Educomunicação: que é a utilização de mecânismo de comunicação na prática de educação.

Rio+20: já no penúltimo e último dia o assunto girou em torno da Rio+20; O que é? O que foi Eco92? O que é a ONU? O que é a cupula dos povos? Essas questões foram debatidas no periodo da manhã e todos  os presentes puderam contribuir com o que sabe em torno destes temas; já no periodo da tarde foram colocadas as perguntas que serão feitas durante a cúpula, e posta para debate em cima do que levantamos nas oficinas. As perguntas foram:

·         Quais as causas estruturais do problema?
·         Quais são as falsas soluções?
·         Que soluções nós apontamos?

Um fato curioso foi o desconhecimento das pessoas da existência de um munícipio chamado Sud Mennucci. Foi muito engraçado a cara que as pessoas faziam quando diziam o nome da cidade, o legal foi que pude explicar a localização e os projetos que desenvolvemos  no CMMA para a melhoria da qualidade de vida de nosso munícipes, a minha participação como único membro da região do baixo Tietê fez com que as pessoas pudessem ver que em todo o Estado há pessoas se mobilizando e comprometidas com o rumo do planeta. Saio desse encontro com um outro olhar nas questões ambientais, que não basta queremos achar que o simples fato de plantar uma árvore será uma das soluções para essa questão, o que também não significa que não é valido. O problema ambiental não respeita fronteiras, o problema que acontece na minha região pode atingir a outra, e que a partir de hoje posso ser considerado uma semente que virará uma árvore e produzirá frutos, o que significa que toda as informações aprendidas durante o encontro é fundamental que seja compartilhada.

*REJUMA é uma rede Nacional existente em todos os Estados brasileiros. Composta por voluntários de diversas formações, tem como intuito trabalhar a conscientização da juventude sobre a importância do meio ambiente na vida de todos. Fonte:http://presidentealves.sp.gov.br/**Cúpula dos Povos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental é um evento organizado pela sociedade civil global que acontecerá entre os dias 15 e 23 de junho no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro –paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD), a Rio+20.

Porquê?
Rio+20 oficial marca os vinte anos da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92 ou Eco 92). Nestas duas décadas, a falta de ações para superar a injustiça social ambiental tem frustrado expectativas e desacreditado a ONU. A pauta prevista para a Rio+20 oficial – a chamada “economia verde” e a institucionalidade global –é considerada por nós como insatisfatória para lidar com a crise do planeta, causada pelos modelos de produção e consumo capitalistas.Para enfrentar os desafios dessa crise sistêmica, a Cúpula dos Povos não será apenas um grande evento. Ela faz parte de um processo de acúmulos históricos e convergências das lutas locais, regionais e globais, que tem como marco político a luta anticapitalista, classista, antirracista, antipatriarcal e anti-homofóbica.Queremos, assim, transformar o momento da Rio+20 numa oportunidade para tratar dos graves problemas enfrentados pela humanidade e demonstrar a força política dos povos organizados. “Venha reinventar o mundo” é o nosso chamado e o nosso convite à participação para as organizações e movimentos sociais do Brasil e do mundo. A convocatória global para a Cúpula será realizada durante o Fórum Social Temático (www.fstematico2012.org.br), em 28 de janeiro, em Porto Alegre (RS). O Fórum deste ano é, aliás, preparatório para a Cúpula. Fonte: http://cupuladospovos.org.br/o-que-e/.

Foto01: de Guaíra Maia

Militânte dos direitos da juventudes: LGBTT, Meio Ambiente, estágiario na Empresa Junior da Faculdade exercendo o cargo de Diretor de Marketing, trabalho no Projeto Guri- AAPG- Governo do Estado de São Paulo

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *