Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/agenciajovem/public_html/wp/wp-includes/class-wp-post-type.php on line 526
América Latina caminha para um futuro sustentável   – Agência Jovem de Notícias

América Latina caminha para um futuro sustentável  

Por Amanda da Cruz Costa – World YMCA / Foto: Banco de imagens

A América Latina está conquistando um espaço cada vez maior em conferências internacionais. Tal fato pode ser evidenciado no painel “Como ações locais cooperam para a implementação da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDCs) no território latino americano”, realizado no dia 09 de novembro, na Conferência Quadro das Nações Unidas (COP 23).

As NDCs são as ambições de cada país para a redução da emissão de gases de efeito estufa, estas ações são caracterizadas pelo comprometimento de cada país em conter as mudanças climáticas. O painel foi composto por três representantes do Peru, sendo eles Marianela Curi (Diretora Executiva da Fundação Futuro Latino Americano), David Sabogal (Diretor do projeto Global Canopy Programme) e Belen Desmaiso (Arquiteta urbanista líder do projeto CASA).

O tema abordado baseou-se no desenvolvimento de ações locais para a redução das atividades humanas no espaço urbano. Marianela Curi ressaltou a influência dos governos subnacionais: “Os governos subnacionais são os responsáveis pela execução das NDCs, contribuindo de forma ativa e direta para que essas metas sejam atingidas.”

Marianela também destacou a importância da internalização das NDCs dentro dos governos. Segundo a diretora, “há uma grande debilidade política na América Latina, sendo necessário a formação de coalizões políticas entre os partidos para que essas ações não se percam na transição administrativa entre os governos.”. Nessa relação, a sociedade civil possui um papel fundamental. É dever da população pressionar e exigir que o governo desenvolva ações para alcançar os objetivos estipulados.

David Sabogal, por sua vez, apontou a gravidade das consequências do desmatamento de florestas. Segundo ele, é essencial que aumente o uso consciente na extração de recursos naturais para a obtenção de energia, atentando para a relevância do deslocamento planejado dos povos indígenas. “Dentro da América Latina a tendência é que o crescimento populacional urbano nos próximos 30 anos seja devastador para as florestas, principalmente na Floresta Amazônica”, relatou David.

Já Belen Desmaison direcionou seu discurso para o aproveitamento da energia solar em residências. A arquiteta apresentou o projeto “Cidades Amazônicas Auto-Sustentáveis”, o qual tem como ponto central o desenvolvimento da arquitetura e urbanismo em espaços distante de grandes centros urbanos, utilizando a floresta Amazônica como base para a implementação.

De acordo com a arquiteta, “Os processos de assentamento populacional necessitam ser analisados como projetos de desenvolvimento socioeconômico que gerarão capacidade de adaptação e que integrarão o crescimento urbano de forma positiva.”

Em vista disso, é possível verificar que houve um aumento da participação latino-americana nos debates internacionais. Contudo, é necessário que os governos latinos continuem desenvolvendo programas para que a América do Sul tenha um papel relevante no Sistema Internacional.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *