Campanha de prevenção do consumo de álcool antes dos 18 anos e a importância de se falar sobre isso

A campanha de Prevenção de Consumo de Álcool por menores de 18 anos, realizada pelo Projeto Virando a Calçada (uma parceria da ONG Viração Educomunicação e do Programa Jovens de Responsa da Ambev tem como intenção diminuir a quantidade de adolescentes e jovens consumindo bebidas alcoólicas, a conscientizar de familiares e promover a mobilização de responsáveis por estabelecimentos e pontos de venda de bebidas.

Embora pareça óbvio, o álcool é muito perigoso para menores de idade. Por quê?

Bom:

  • Jovens podem ser menos sensíveis para alguns efeitos tóxicos do álcool em comparação aos adultos ou pessoas mais velhas, como resultado, podem beber de maneira mais pesada;
  • O desenvolvimento das vias neurais dos jovens os deixam mais vulneráveis ao dano podendo levar a problemas cognitivos e outras funções fisiológicas.

Toda a proposta gerada pelos jovens da ONG Viração gira em torno do contexto de festas de fim de ano, onde pais oferecem “goles” de bebidas alcoólicas variadas para seus filhos pequenos sob o argumento de que é “só para comemorar”.

Pesquisas mostram que quanto mais cedo ocorre o primeiro consumo, maior é a chance de desenvolver alcoolismo. Como diz o médico Drauzio Varella: “…por outro lado – e outro motivo de grande preocupação –, é alguns pais permitirem que os filhos bebam porque não vêem problema na bebida. A justificativa é que, afinal, todos os adolescentes bebem. Por isso, aceitam como normal o fato de os filhos começarem a consumir álcool cada vez mais cedo. Hoje, é comum os adolescentes se reunirem na casa de um deles para o “esquenta”, ou seja, para beber alguma coisa e chegar meio alcoolizados à festa. Se não for assim, parece que a festa não tem graça.” Ainda sobre a campanha de proibição do consumo de álcool por menores de 18 anos, Drauzio afirma que “proibir apenas que os adolescentes bebam não adianta. É preciso conversar com eles, expor-lhes a preocupação com sua saúde e segurança e deixar claro que não há acordo possível quanto ao uso e abuso do álcool, dentro ou fora de casa.”

Procurando entender melhor os motivos para a bebida ser proibida para menores, os jovens organizadores da campanha separaram números e pesquisas realizados por médicos e pesquisadores. Os resultados mostram que:

  • O álcool interfere no raciocínio, na memória, na atenção e na coordenação motora;
  • Além disso, faz com que a pressão arterial abaixe, aumentando o batimento cardíaco;
  • O espaço de tempo entre doses de álcool consumidas em festividades e comemorações não condiz com a capacidade do fígado, que só metaboliza uma dose de álcool a cada uma hora;
  • O álcool tem efeito diurético, aumentando o volume de urina proiduzida e, por isso, aumentando o risco de desidratação;
  • 78,4% dos jovens de escolas públicas brasileiras já bebeu no decorrer da vida, mas 58,9% não bebeu no último ano.

 

Links de apoio:

https://www.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fwww.informalcool.org.br%2Fcontent%2Fuso-de-%25C3%25A1lcool-entre-jovens&h=pAQHqHNvm – A Beber Menos Brasil veicula informações relacionando álcool e juventude para informar a população sobre os riscos do consumo excessivo na idade não-recomendada.

http://facebook.com/naresponsa – Projeto criado pela Ambev atua no combate ao consumo de álcool por menores de idade.

http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fsuper.abril.com.br%2Fcotidiano%2Fcerebro-nova-transformacao-446290.shtml&h=CAQErQVtE – A revista Superinteressante esclarece cientificamente como o álcool prejudica um cérebro em desenvolvimento.

Gabriel Cruz

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *