Afro Presença: para debater a inclusão de pessoas negras no mercado de trabalho

Evento idealizado e coordenado pelo Ministério Público do Trabalho e realizado pelo Pacto Global da ONU acontece de 30 de setembro a 2 de outubro, de graça pela internet

Por Redação AJN

56,10% das brasileiras e brasileiros se declaram negras no Brasil, segundo os últimos dados do IBGE.

8 milhões de brasileiras e brasileiros são jovens negros e negras. 34% dessa juventude faz faculdade – e apenas 12,8% de jovens negros e negras no ensino superior têm entre 18 e 24 anos.

Em 2015, nenhum candidato negro foi aprovado nos vestibulares para as 6 carreiras mais concorridas da Fuvest.

Menos de 5% dos cargos de liderança no Brasil São ocupados por pessoas negras.

Pessoas negras são a maior parte daqueles que não têm emprego formal no Brasil, são a maioria em subempregos e entre aqueles que recorrem à informalidade ou ao empreendedorismo por necessidade para sobreviver.

O cenário imposto pelo racismo estrutural é grave e escancara a necessidade de articulação entre diversos setores da sociedade para criar ferramentas e condições de crescimento profissional igualitária para a juventude negra.

A participação dos jovens negros e negras em cursos de excelência não reflete na participação no mercado de trabalho. Dessa forma, entendemos que os processos seletivos no campo profissional precisam ser revisitados. Todas as lógicas excludentes, de forma expressa ou implícita, precisam ser identificadas e eliminadas

Valdirene Assis, procuradora, coordenadora de Igualdade e do Projeto Nacional de Inclusão de Jovens Negras e Negros Universitários do MPT-SP

Recentemente, que ainda vemos que ações afirmativas como o anúncio das inscrições para o Programa de Trainee do Magazine Luiza voltadas exclusivamente para pessoas negras – ações estas que estão respaldadas em Nota Técnica do Ministério do Trabalho publicada em 2018 e ratificada no último dia 20 de setembro – recebem críticas racistas e sem fundamento, é extremamente necessário ampliar as discussões sobre formas de ampliar a participação de jovens negras e negros no mundo do trabalho formal.

O Brasil é o 8º país mais desigual do mundo e não conseguiremos reduzir esta desigualdade se não atacarmos diretamente o racismo na estrutura. A Rede Brasil do Pacto Global da ONU iniciou um processo de mobilização do setor empresarial para que ações concretas sejam tomadas e mais negros assumam posições de liderança, ocupadas, hoje, majoritariamente por brancos. Os negros representam mais de 55% da população brasileira, mas ocupam menos de 5% dos cargos de liderança nas 500 maiores empresas do país

Carlo Pereira, diretor-executivo da Rede Brasil do Pacto Global.

AFRO PRESENÇA

Nesse contexto acontece, entre 30 de setembro e 2 de outubro, o encontro do Movimento Afro Presença. Um evento gratuito, idealizado e coordenado pelo Ministério Público do Trabalho e realizado pelo Pacto Global da ONU com apoio de organizações da sociedade civil e da iniciativa privada.

O objetivo do ciclo de atividades é contribuir para criar condições para superarmos o racismo estrutural através da ampliação, inserção e ascensão da população negra no mercado formal de trabalho.

Serão três dias de atividades gratuitas, distribuídas em salas diversas, transmitidas pela internet. As discussões pretendem colocar o mercado de trabalho, a formação acadêmica e profissional e a representatividade de pessoas negras em áreas como Comunicação, Engenharia, Arquitetura, Direito, Turismo, Gastronomia e Saúde, entre outras, no centro do debate.

Na programação, têm destaque discussões sobre o racismo estrutural, escolhas profissionais, ferramentas de autoconhecimento, letramento racial, saúde da população negra, o impacto da covid-19 nas periferias e na população negra brasileira, carreiras e juventude negra, agronegócio, meio ambiente, e a situação das pessoas negras LGBTQ+, além de um show de encerramento.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site do evento: http://afropresenca.com.br/ 

SOBRE O MOVIMENTO

O Movimento Afro Presença surgiu através do Projeto Nacional de Inclusão de Jovens Negras e Negros Universitários no Mercado de Trabalho, promovido pelo Ministério Público do Trabalho. O Afro Presença tem como objetivo prevenir e combater a discriminação racial nas relações de trabalho e valorizar a diversidade racial nos espaços empresariais, de modo a reduzir as desigualdades raciais no campo econômico e, consequentemente no social, político e cultural. Em 2020, o Pacto Global da ONU foi envolvido no Afro Presença para trabalhar a redução das desigualdades no setor privado, através do ODS 10.

Uma das estratégias do projeto é o Pacto pela Inclusão Social de Jovens Negras e Negros Universitários no Mercado de Trabalho, que tem como objetivo fortalecer as ações voltadas à população negra, buscando ampliar a sua inserção e ascensão ao mercado de trabalho. As instituições que aderem ao Pacto passam a fazer parte da rede de inclusão constituída por entidades dos movimentos negros, empresas, associações de classe, universidades, organizações nacionais e internacionais.

Para saber mais sobre o Pacto, clique aqui!

Para saber mais sobre a norma técnica de inclusão  clique aqui!

Acompanhe as notícias sobre o Afro Presença no Facebook e no Instagram!

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *