Adolescentes do G27 pressionam pela aprovação do PL “Não bata, eduque”

Texto: Camila Bezerra (RJ), Larissa Garcez (RJ), Jhonatan Santos (SE) e Pedro Henrique (BA) | Imagens: David Feitosa (AL), adolescentes educomunicadores em Brasília (DF)

Nesta quarta feira, 11, aconteceu na Câmara dos Deputados, em Brasília, um manifesto a favor do Projeto de Lei 7672/2010, conhecida como “Não bata, eduque”, realizado por cerca de 24 adolescentes/ jovens do G27, um grupo do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) que representam cada Estado brasileiro mais o Distrito Federal na organização da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Os adolescentes educomunicadores que estão cobrindo a Conferência, que acontece entre os dias 11 e 14 de julho, em Brasília (DF), acompanharam esse manifesto pela aprovação do Projeto de Lei que propõe a erradicação dos castigos físicos e humilhantes a crianças e adolescentes, realizado durante a reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Embora não tenha havido a votação do PL por conta de um número insuficiente de deputados para a votação, o projeto será avaliado no próximo semestre pelos deputados integrantes da comissão. Houve um grande avanço com relação à tramitação do projeto na Câmara por conta do comprometimento de quatro deputados, sendo eles Alessandro Mollon (RJ), José Bonifacio de Andrade (MG), Benedita da Silva (RJ) e Ricardo Berzoini (SP), presidente da CCJ.

Durante o papo que rolou com os jovens e adolescentes na sala onde ocorreria a reunião da CCJ, se comprometeram a dar total apoio ao projeto e mostrar a todos o ponto de vista dos adolescentes do G27, que entregram uma carta de apoio à aprovação aos deputados.

No ponto de vista da deputada federal Benedita da Silva (RJ), que já é bisavó, “não cabe bater, machucando e ‘educando’ de forma agressiva. Assim você estará criando um inimigo, pois na criação deveria existir apenas o amor e o diálogo”. Ela também enfatiza a questão do futuro traumático a que estão sujeitas as crianças vítimas de violência e o processo do aumento dos maus tratos no Brasil.

Projeto “Não bata, eduque”

Representantes do Instituto Xuxa Meneghel estiveram presentes na manifestação e assumiram uma campanha contra a violência a crianças e adolescentes chamada “Não bata, eduque”. Para saber mais sobre ela, clique aqui.

Confira a Nota Pública em apoio ao PL 7.672, feita pelos adolescentes do G27

Saiba mais:

O que é 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente?

Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *