A primeira Semana das Juventudes do Semiárido mineiro deixou um gosto de “quero mais”

A semana das Juventudes, que se encerrou no último dia 13 promoveu um encontro das juventudes de cidades do Vale do Mucuri e Jequitinhonha. Durante esse tempo os jovens participantes fizeram oficinas, participaram de rodas de conversas, intervenções urbanas, sarau de poesias, TV de rua e várias outras atividades.

O evento foi oportuno para troca de ideias de conhecimento, articulação e fortalecimento da Rede de Jovens Comunicadores do Semiárido Mineiro e de outros movimentos juvenis.

A Semana das Juventudes foi realizada pela Oficina de Imagens, CONACREJE – Conselho de Amigos das Crianças de Jequitinhonha e a Rede de Jovens em parceria com a AIC – Associação Imagem Comunitária, Pólo Jequitinhonha UFMG, Proex, Casa de Cultura Jequitinhonha e Revista Viração.

As oficinas realizadas foram de Mídia Tática, Posters, Rádio, Serigrafia, Audiovisual, Literatura de Cordel, Teatro, Circo, Artesanato, Comunicação para Mobilização Social além de oficinas curtas.

Os jovens começaram a chegar ao CONACREJE desde o dia 08, cidades como Franciscópolis e Virgem da Lapa, na manhã do dia 09 foi feito o credenciamento e muitos participantes ainda estavam chegando.

Após o almoço foi realizado um momento de integração com danças circulares, como Gôpala, Xanum, Pipoca e Peneirei Fubá. Em seguida houve a apresentação dos oficineiros e suas respectivas oficinas e os trabalhos já foram sendo iniciados.

As noites da Semana das Juventudes tiveram muitas poesias, músicas, o grupo de palhaços “Os atrapalhados” com o jargão “pra dentro” e “pra fora”, TV de RUA, atrações que se estendiam até as 23 horas.

Na noite cultural do dia 12 realizada na praça da igreja, foi apresentada a peça “O homem da cabeça de papelão” do escritor João do Rio. A apresentação foi o resultado dos trabalhos desenvolvidos pela oficina de teatro.

A oficina de serigrafia produziu a camiseta da semana das juventudes que foi distribuída para todos os participantes.

No dia 13 houve o encerramento de todas as oficinas, foi montado um palco na Praça da Rodoviária e a população da cidade pôde conferir todos os trabalhos produzidos durante a Semana das Juventudes, como: o vídeo da oficina de audiovisual, entrevistas de rádio, apresentação de circo, exposição dos cordéis, intervenção com pôster, o bonecão da sexualidade e tabus do corpo humano.

A noite do dia 13, contou ainda com a apresentação musical de um coral da cidade de Jequitinhonha, da Banda Anônimos, Hendrick Souza de Pedra Azul, Dino Santos de Padre Paraíso, Geffeti de Belo Horizonte e o do cantor local Nei.

Boletim “Semana das Juventudes”

Todos os dias na hora do almoço a galera pôde conferir o Boletim “Semana das Juventudes” produzido pela assessoria de imprensa do evento que foi coordenada pelo Pólo Jequitinhonha UFMG.

Os jovens, Silmara Aparecida dos Santos e Reynaldo Azevedo da cidade de Lavras participaram da cobertura do evento para a agência jovem de notícias (agenciajovem.org) que é uma iniciativa colaborativa envolvendo diversas organizações, movimentos e projetos sociais e escolas no Brasil, promovida pela Viração Educomunicação.

A Rede de Jovens também fez a cobertura e as matérias eram compartilhadas com vários blogs locais, inclusive o do blog do CONACREJE.

Dia “C”


Dia “C” – Dia da Juventude Comunicativa (17 de Outubro), foi uma das temáticas abordadas dentro da Semana das Juventudes, na intenção de provocar um debate sobre a democratização da comunicação no Brasil e mobilizar e articular ações e intervenções nesse dia nas diversas cidades presentes.

Lucilene Teixeira, 29 anos, da cidade de Franciscópolis que participou da semana das juventude pela Rede de Jovens Comunicadores do Semiárido Mineiro, disse que “é muito importante essa temática de entender a comunicação como um direito básico para todos, é preciso lutar pela liberdade de expressão na escola, na saúde, nos conselhos enfim em todos os espaços”.

Os jovens que estavam presentes no bate-papo aprovaram a ideia de realizarem as intervenções e ficou decidido a criação de uma página no facebook onde seriam feitas as articulações e divulgação para as outras cidades.

Ideias Sustentáveis na Semana das Juventudes

Dentro da Semana das Juventudes, cada jovem foi responsável por lavar o seu próprio prato. Palestina Serra, oficineiro de audiovisual, propôs um sistema de lavagem que remete a questão do trabalho coletivo, da sustentabilidade e economia de água.

“É algo muito simples e funciona da seguinte forma”, diz ele, “coloca-se água em três bacias sendo que na última a água esteja morna. Em um balde retira-se os restos de comida, na primeira bacia lava-se o prato e o garfo, na segunda bacia enxágua e na terceira bacia volta a enxaguar novamente e pronto! Quando a água da primeira bacia ficar muito suja, a água da segunda bacia vai para a primeira, da terceira para a segunda e coloca-se outra água na terceira.”

Glenio Rodrigues, educador de Inclusão Digital do CONACREJE, achou a ação muito interessante e importante no sentido de que o jovem entenda que ele tem obrigações a serem cumpridas tanto no ambiente familiar como em uma sociedade. “E além do mais temos que quebrar esse tabu de que só quem lava pratos são as mulheres. Outro ponto importante é que todos puderam se conscientizar da importância de está ajudando ao próximo e a própria organização do evento com uma simples ação de lavar o seu prato”, afirma.

Assuntos mais comentados na Semana das Juventudes

Na Semana das Juventudes o que não foi faltou foram assuntos para conversar. Jovens de diversos grupos e movimentos compartilhavam suas experiências tanto nas oficinas como nos momentos livres e durante as refeições.

Cinco adolescentes da cidade de Mata Verde, entre eles, Gabriela da Silva Nicola, compartilhava as ações do Grupo GAMOB – Grupo de Adolescentes Mobilizadores dos Direitos Infanto Juvenis, movimento que surgiu dentro das ações do SELO UNICEF e só vem aumentando sua participação na cidade, inclusive nos conselhos municipais.

Experiências como da Associação dos Produtores e Agentes Culturais Através da Arte de Padre Paraíso – APACA, Movimentos da Juventude da cidade de Pedra Azul, Conselho Virajovem da cidade de Lavras (Sul de Minas Gerais), Voz da Juventude da cidade de Itaobim, Coletivo Casa Amarela de Contagem, as próprias experiências do CONACREJE e vários outros movimentos do semiárido mineiro estavam em alta nos bate papo da galera.

Nos momentos de descontração, os assuntos mais comentados foram o jargão “amiguinhos” criado por Geffeti e o “Franciscópolis é linda”, inventaram também uma dança da traíra e outro dito “chupa biribim” que provocaram muitos risos.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *