Comer na Rio+20 pesa no bolso e esvazia o estômago

No primeiro dia de eventos paralelos e da Conferência Preparatória para a Rio+20 – PrepCom 3 os participantes da maior Conferência da história da Organização das Nações Unidas – ONU foram pegos, literalmente, pelo estômago. Se alimentar no Rio Centro, espaço na Barra da Tijuca que sedia as atividades oficiais, além de caro vai fazer muita gente perder alguns quilinhos esses dias no Rio.

Um prato minúsculo com arroz, feijão, saladinha e comida vegetariana não sai por menos de R$35. O restaurante self-service cobra R$52 o quilo e uma das opções mais baratas, o restaurante árabe, cobra R$25 um prato que mal alimenta uma criança! Para “melhorar” o atendimento é precário. Desorganizado, demorado, o que deixa boa parte dos participantes irritados. O problema é que eles sequer conseguem reclamar, já que os atendentes não falam inglês e não fazem a mínima ideia do que estão falando para eles. A nossa equipe da Agência Jovem até teve que ajudar um senhor estrangeiro a reclamar que o prato que haviam servido não era o que ele havia pedido. Uma baita confusão.

Isso porque a Rio+20 nem bem começou…

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

1 Comentário

  • Alem desse evento o Rio fara parte da Copa do Mundo de 2014 e sediara a Olimpíadas de 2016, e estão recebendo um evento de grande porte internacional, o minimo e que eles falem inglês para que atendam os estrangeiros, e outra que preço absurdo e esse assim ficarei com fome. 🙁

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *