57% dos adolescentes se sentem menos seguros em relação à violência sexual

Enquete realizada com 1.189 participantes do projeto U-Report Brasil apontou ainda que 51% dos participantes não sabe como agir ao se deparar com casos de violação de direitos

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, dos 159 mil registros feitos pelo Disque Direitos Humanos ao longo de 2019, 86,8 mil são de violações de direitos de crianças ou adolescentes – um aumento de quase 14% em relação a 2018.

A violência sexual figura em 11% das denúncias que se referem a este grupo específico, o que corresponde a 17 mil ocorrências. Em comparação a 2018, o número se manteve praticamente estável, apresentando uma queda de apenas 0,3%.

No Brasil, o mês de maio é dedicado à conscientização sobre a violência sexual contra adolescentes e jovens. Trata-se da campanha #MaioLaranja, que envolve diferentes iniciativas governamentais e organizações da sociedade civil. Uma enquete realizada pela plataforma U-Report em maio passado apontou que nem sempre adolescentes e jovens sabem identificar e como agir.

Das 1.189 pessoas que participaram da ação – 66% mulheres, 25% homens e 8% não-binários, 90% delas adolescentes e jovens – 57% afirmaram não se sentir protegidas contra violações sexuais durante a pandemia, e 51% afirma não saber ao certo com agir diante de uma situação de abuso sexual.

93% das pessoas que responderam a enquete responderam sim ao ser perguntadas se gostariam de receber informações confiáveis sobre como agir para se proteger e denunciar violações de direitos.

Todas receberam um infocenter com 6 tópicos para ajudar a enfrentar esse problema, desenvolvidas pelo UNICEF em parceria com o Canal Futura e a organização Childhood Brasil:

🟠 1. Mantenha o diálogo aberto com crianças e adolescentes

➡ É importante conversar sobre privacidade, intimidade, partes íntimas, toques invasivos e inadequados com crianças e adolescentes de qualquer idade.

➡ É essencial que entendam que sempre podem dizer não e comunicar a situação para uma pessoa de confiança para que possam se proteger em possíveis situações de perigo.

🟠 2. Violência sexual também acontece sem contato físico!

➡ Assédio sexual, falas erotizadas, exibicionismo, expor material pornográfico ou coagir crianças e adolescentes a mostrarem partes íntimas também são formas de violência sexual.

➡ Ofereça informações para crianças e adolescentes para que consigam entender quando estão sendo expostas a uma situação perigosa ou conteúdo impróprio.

🟠 3. Seja uma pessoa de confiança

➡ O abuso sexual normalmente acontece sob um pacto de silêncio entre o agressor e a vítima. 

➡ Por isso, é importante que crianças e adolescentes entendam que segredo não é uma coisa boa e se sintam seguros/as para falar com alguém de confiança sobre suas questões.

➡  Uma pessoa de confiança, além de bem informada em relação à forma de agir, é alguém que sabe escutar e acolher sem julgamentos.

🟠 4. Observe os sinais

Algumas mudanças de comportamento podem indicar possíveis situações de violência, como:

➡ Irritação

➡ Dores de cabeça ou na barriga frequentes

➡ Pesadelos

➡ Ansiedade

➡ Raiva

➡ Introspecção

➡ Depressão

➡ Rejeição a pessoas por quem deveria ter afeição

➡ Falar abertamente sobre sexo de uma forma não natural para a sua idade

⚠️ Não necessariamente uma criança ou adolescente que apresenta alguns desses sinais está enfrentando uma situação de violência. De qualquer forma, é importante prestar atenção e dialogar.

🟠 5. Ajude a combater!

➡ Ao suspeitar ou tomar conhecimento de uma situação de violência, abuso ou exploração sexual, busque ajuda dos serviços de proteção:

📞 Disque 100: para suspeita ou casos de violência contra crianças e adolescentes.

📞 Disque 180: para suspeita ou casos de violência contra meninas e mulheres.

📞 Disque 190: se uma violência contra crianças e adolescentes estiver acontecendo.

📞 Conselho Tutelar: Para denunciar violações contra os direitos de crianças e adolescentes.

📱 Aplicativo Direitos Humanos Brasil (www.gov.br/mdh/pt-br/apps): Para denunciar suspeitas ou casos de violência contra crianças e adolescentes.

🟠 6. Compartilhe informações!

➡ A proteção de crianças e adolescentes é dever de todo mundo e prioridade absoluta. Faça a sua parte compartilhando informações confiáveis.

Quer receber as informações no celular?

🟢 Participe no Whatsapp: http://bit.ly/MaioLaranjaWP 

🔵 Participe no Facebook: http://bit.ly/MaioLaranjaFB 

Acesse os dados completos da enquete sobre violência sexual contra crianças e adolescentes no site do U-Report Brasil

U-Oquê?

O U-Report é um projeto global do Unicef implementado pela Viração Educomunicação no Brasil. Funciona como uma ferramenta de participação social no meio digital que tem como objetivo mobilizar e envolver a juventude em discussões sobre seus próprios direitos.

Basicamente, o projeto atua por meio de um chatbot social (um robô) programado para trocar ideias com adolescentes e jovens através do Whatsapp e do Messenger (Facebook). Através de enquetes, a plataforma coleta informações que ajudam a entender as diferentes realidades e a conhecer as opiniões de adolescentes e jovens sobre questões que afetam as suas vidas. Além disso, são distribuídos conteúdos educativos por meio de centrais de informação, desafios temáticos, transmissões ao vivo, entre outros.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *