Imagem: EBC

20 de junho: um dia para lembrar das pessoas que não escolheram sair de seus lares

Em 2000, a ONU declarou o 20 de junho como dia Internacional do Refugiado e, como refugiado, entende-se toda pessoa que, em razão temores de perseguição devido à uma série de fatores, encontra-se fora de seu país de origem e que não pode ou não quer fazer uso da proteção desse país.

Por Jenny De La Rosa

Na cidade de Genebra, os países membros das Nações Unidas se reuniram com a finalidade de elaborar um documento que chamaram de “Convenção de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados”.

Este documento visa que os refugiados possam usufruir de todos os direitos humanos, a proteção e liberdades fundamentais que os amparam. O documento também salienta que o problema dos refugiados é uma responsabilidade de todos os países.

Curiosamente, a primeira versão só se aplicava aos refugiados da Europa vítimas da Segunda Guerra Mundial, com isto, em 1967, perante a ampla abrangência da problemática no mundo, se eliminam as fronteiras geográficas para que todas as pessoas nessa condição, em qualquer lugar do mundo, possam exercer seus direitos.

Em 2000, a ONU declarou o 20 de junho como dia Internacional do Refugiado e, como refugiado, entende-se toda pessoa que, em razão de fundados temores de perseguição devido à sua raça, religião, nacionalidade, associação a determinado grupo social ou opinião política, encontra-se fora de seu país de origem e que, por causa dos ditos temores, não pode ou não quer fazer uso da proteção desse país.

A número de refugiados para 2019 é de aproximadamente 68,5 milhões de pessoas, ou seja, que deixaram suas casas de forma forçada em todo o mundo.

Desses milhões, 1 mil brasileiros moram na condição de refugiados em aproximadamente 8 países de asilo. Já no Brasil, grupos venezuelanos, diante da crise política no seu país, têm procurado asilo aqui, como demonstra o mapa abaixo. Nele você encontra dados de outros grupos na mesma condição nos diferentes continentes.

Refugiados no Brasil em 2018 / Reprodução site The Refugee Project

Acesse e navegue pelo site do projeto para saber mais: https://www.therefugeeproject.org/ (em inglês)

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *