Palmas/TO Índios Pataxó se reúnem em área próxima a Aldeia Okara, onde as etnias brasileiras estão hospedadas ( Marcelo Camargo/Agência Brasil)

20 de janeiro é o dia da consciência indígena

Data celebrada por todo o país relembra a resistência dos povos originários diante da colonização europeia; artistas apresentam música indígena contemporânea em live


Hoje (20) é o Dia Nacional da Consciência Indígena. A data faz referência à história de luta e resistência dos povos originários do Brasil pela sobrevivência, preservação de sua cultura e da identidade indígena diante do colonialismo.

O Dia Nacional da Consciência Indígena foi lançado oficialmente em todo o país em 2013, mas desde a década de 1980 já se falava da importância da data, que escolhida para marcar o dia da morte do guerreiro Aimberê, considerado uma grande liderança e força expoente da Confederação dos Tamoios, esta que foi a união dos povos originários contra os invasores de Pindorama, a colonização e a escravidão, no século XVI.

De acordo com informações do blog MamaTerra, em 20 de janeiro de 2013, representantes de povos indígenas aldeados no antigo Museu do Índio, ao lado do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, anunciaram a celebração da data a partir das ideias do líder indígena Marcos Terena. 

Em publicação do site Visibilidade Indígena, outra parte da história de resistência dos povos indígenas brasileiros à colonização branca européia é lembrada para marcar o Dia Nacional da Luta dos Povos Indígenas: “homenagem ao líder Sepé Tiaraju, que comandou a revolta dos Sete Povos das Missões contra o Tratado de Madri. O levante Guarani contra a dominação espanhola e portuguesa no Rio Grande do Sul se deu em defesa de seu território ancestral.”

Com a popularização da data entre os povos aldeados, diversas atividades são promovidas para fortalecer a consciência e a cultura indígena em todo o país. Este ano, artistas organizaram um festival que vai apresentar música indígena contemporânea pela internet.

O Festival Música Indígena Contemporânea acontece a partir das 20h de hoje, e contará com Line-Up formado por artistas indígenas de diversas etnias, e a renda arrecadada com a venda dos ingressos, vendidos a um valor mínimo de R$20,00, será destinada ao povo Pankararu, para apoiar a realização do ritual da Corrida do Umbú.

A música indígena Contemporânea é antes de tudo a manifestação da resistência, a história de um povo que já cantava e demarcava a nossa mãe pindaé antes de ser Brasil. A música contemporânea é um ato para vida, é a voz dos nossos ancestrais vestida de memórias e atualidades.

Gean Ramos Pankararu

Quem quiser acompanhar o festival pode doar qualquer valor para o povo Pankararu: basta alterar o valor no campo de pagamento no site do evento: https://agorasonora.com.br/ 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *