Passeio ciclístico na Avenida Paulista chama atenção para testagem e prevenção ao HIV/aids

 

 Secretaria Municipal da Saúde e UNICEF realizam evento no próximo dia 29 de novembro. Viração é parceira na ação.

 Da Redação

A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) vão antecipar as atividades do dia mundial de luta contra a aids (1º/12) em São Paulo, com uma pedalada pela Avenida Paulista, no dia 29 de novembro.  O 2º Passeio Ciclístico pela Saúde e contra a Aids, também marcará o início das atividades do Viva Melhor Sabendo Jovem, uma estratégia de ampliação do acesso de adolescentes e jovens à testagem do HIV, bem como direcionamento aos serviços de saúde para confirmação do diagnóstico e início do tratamento continuado em caso de o resultado do exame ser positivo.

No dia, a prefeitura irá disponibilizar uma unidade móvel, onde 10 jovens capacitados pela Secretaria Municipal da Saúde e pela ONG Viração irão demonstrar a realização de testes rápidos e gratuitos do HIV, além de divulgarem informações e orientações sobre prevenção e o tratamento das DST/Aids.

O passeio sairá da Praça do Ciclista, onde os participantes irão se reunir a partir das 14 horas, dará a volta na avenida e retornará ao local de início. No local, o Secretário Municipal de Saúde, Alexandre Padilha, a Chefe do Programa de HIV/AIDS do UNICEF, Cristina Albuquerque, a coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo, Eliana Battaggia Gutierrez e um dos jovens mobilizadores da ONG Viração, Welton Gabriel, darão início às atividades do Viva Melhor Sabendo Jovem. A locutora da rádio 89 FM, Luka, também estará presente e irá tocar no início do passeio ciclístico.

Situação da epidemia 

De acordo com dados do UNICEF, cerca de 6,5 milhões de pessoas com menos de 24 anos (incluindo 2,6 milhões menores de 15 anos) viviam com HIV em 2014 no mundo. No mesmo ano, o HIV causou a morte de 180.000 crianças e adolescentes com idade inferior a 20 anos – quase 500 por dia, ou 20 por hora.

“Sabemos que a resposta brasileira ao HIV/Aids é reconhecida globalmente e serve como referência internacional. No entanto, a epidemia no Brasil ainda cresce entre os jovens, sendo que entre os meninos de 13 a 19 anos ela é 30% maior que entre meninas da mesma faixa etária. Informação e conscientização são ferramentas importantes para acabar com a aids entre adolescentes e jovens”, afirma o representante do UNICEF no Brasil, Gary Stahl.

No Brasil, de acordo com dados de 2014 do Ministério da Saúde, atualmente os efeitos mais graves da epidemia recaem sobre os adolescentes. Entre 2004 e 2013, o número de novos casos em meninos com idades entre 15 e 19 anos aumentou em 53%.

Em São Paulo, de acordo com dados da Secretaria Municipal da Saúde, nos últimos 10 anos, a cidade conseguiu reduzir os casos de aids em 22,1% (2.926 em 2004 e 2.278 em 2014). Entretanto, essa redução não acontece igualmente entre os homens em todas as faixas etárias: entre 2005 e 2014, houve aumento da taxa de detecção de aids no sexo masculino de 2,6 para 8,5 respectivamente na faixa etária entre 15 a 19 anos e de 22,2 para 43,3 na faixa etária entre 20 e 24 anos.

De acordo com a Pesquisa de Conhecimento Atitudes e Práticas da População do Município de São Paulo, de 2014, realizado pela Prefeitura, 59% do público entre 15 e 24 anos teve acesso ao preservativo no último ano. A pesquisa revelou ainda que somente 20% deste grupo já fez o teste para aids alguma vez na vida e que apenas 45% sabem onde obter um teste para HIV gratuito.

“A epidemia de HIV entre homens jovens está aumentando no município de São Paulo. Estamos ampliando o acesso à prevenção, à testagem e ao tratamento, que hoje é recomendado para todas as pessoas com HIV. Nosso compromisso, até 2020, é testar 90% das pessoas vivendo com HIV, tratar 90% dos HIV positivos e alcançar o sucesso do tratamento em 90% dos tratados”, afirma o secretário municipal da Saúde de São Paulo, Alexandre Padilha.

 

Sobre o Viva Melhor Sabendo Jovem

A estratégia tem como público prioritário a população entre 15 e 24 anos e busca aumentar a testagem do HIV e a retenção ao tratamento. A estratégia também pretende aumentar o conhecimento de adolescentes e jovens sobre a prevenção das DST e aids. Para isto, a prefeitura disponibilizou uma unidade móvel que vai funcionar de forma itinerante, no centro e em alguns bairros da cidade, com acolhimento e encaminhamento para serviços de saúde. Na unidade, jovens capacitados pela Secretaria Municipal de Saúde e pela ONG Viração irão oferecer testes rápidos e gratuitos do HIV, além de informações e orientações sobre prevenção e o tratamento das DST/Aids.

Declaração de Paris

Como parte das celebrações do dia mundial de luta contra a aids, a prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, irá assinar a Declaração de Paris, de forma a confirmar o empenho em acelerar a resposta para acabar com a epidemia a partir de uma série de compromissos. A Declaração tem como foco as populações e comunidades mais afetadas pelo HIV, além de buscar mobilizar recursos para melhorar a integração entre saúde pública e desenvolvimento, assim como construir e acelerar ações urbanas estratégicas voltadas ao HIV.

Serviço:

2º Passeio Ciclístico pela Saúde e contra a Aids e lançamento das ações do Viva Melhor Sabendo Jovem

Local: Concentração na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, próximo à estação Consolação do Metrô

Horário: 14h às 17h

Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *